acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Parker lança novos componentes para refinarias

29/01/2014 | 10h46

 

A Parker Hannifin lança no Brasil as Válvulas de Agulha com Castelo União – Série D, componentes especialmente desenvolvidos para suportar severas condições de uso em refinarias e plataformas de petróleo. Segundo a empresa, a tecnologia é ideal para aplicações de instrumentação. Seu desenvolvimento atende aos requisitos da norma MSS SP-99 do Manufacturers Standardization Society of the Valve and Fittings Industry, que regula componentes deste tipo.
Mais seguras, as válvulas são projetadas com castelo união, característica que garante máxima segurança, pois mesmo que o torque aplicado seja excessivo a haste não se desprenderá do produto. Com corpo forjado em aço inoxidável ASTM A-182 GRF 316/316L ou em aço carbono ASTM A-105, a solução trabalha com pressões que vão até 6.000 psi.
A ponta da haste do produto é confeccionada em aço ultrarresistente e tem formato cônico, reduzindo o desgaste do assento de vedação, o que garante mais ciclos de operação. De fácil montagem em painéis, as válvulas contam com alto rigor em seu controle de qualidade, já que são 100% testadas na fábrica.
O produto trabalha com diferentes faixas de temperaturas, que podem variar de -29oC a 200oC (aço inoxidável com gaxeta de PTFE), -29ºC a 538ºC (aço inoxidável com gaxeta de grafite), -29ºC a 200ºC (aço carbono com gaxeta de PTFE) e -29ºC a 425ºC (aço carbono com gaxeta de grafite). Já o orifício de passagem das válvulas é de 6 mm.

A Parker Hannifin lança no Brasil as Válvulas de Agulha com Castelo União – Série D, componentes especialmente desenvolvidos para suportar severas condições de uso em refinarias e plataformas de petróleo. Segundo a empresa, a tecnologia é ideal para aplicações de instrumentação. Seu desenvolvimento atende aos requisitos da norma MSS SP-99 do Manufacturers Standardization Society of the Valve and Fittings Industry, que regula componentes deste tipo.

Mais seguras, as válvulas são projetadas com castelo união, característica que garante máxima segurança, pois mesmo que o torque aplicado seja excessivo a haste não se desprenderá do produto. Com corpo forjado em aço inoxidável ASTM A-182 GRF 316/316L ou em aço carbono ASTM A-105, a solução trabalha com pressões que vão até 6.000 psi.

A ponta da haste do produto é confeccionada em aço ultrarresistente e tem formato cônico, reduzindo o desgaste do assento de vedação, o que garante mais ciclos de operação. De fácil montagem em painéis, as válvulas contam com alto rigor em seu controle de qualidade, já que são 100% testadas na fábrica.

O produto trabalha com diferentes faixas de temperaturas, que podem variar de -29ºC a 200ºC (aço inoxidável com gaxeta de PTFE), -29ºC a 538ºC (aço inoxidável com gaxeta de grafite), -29ºC a 200ºC (aço carbono com gaxeta de PTFE) e -29ºC a 425ºC (aço carbono com gaxeta de grafite). Já o orifício de passagem das válvulas é de 6 mm.

 



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação com Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar