acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indústria naval

Novo estaleiro no Nordeste

28/10/2005 | 00h00
Ceará entra na disputa com potencial

O Ceará volta à cena na disputa de um novo empreendimento, desta vez, na área da construção naval. Duas empresas de fabricação de barcos — uma multinacional e uma nacional — procuraram o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) com interesse em investir na região nordestina, notadamente no Ceará ou em Pernambuco, utilizando recursos do Fundo de Marinha Mercante, que somam R$ 3 bilhões no País.

“Conversamos com empresários interessados, porque esse fundo poderá financiar tanto a construção de embarcações para atender a Petrobras, como construir barcos voltados para o setor pesqueiro da região”, afirmou Roberto Smith, presidente do BNB. Ele observa que, na área da pesca, a região tem grande potencial.

Smith reiterou que a partir de 2006, o banco vai passar a operar, com o FMM. Até então, somente o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), tinha autorização do Conselho de Marinha Mercante para operacionalizar com o fundo.

O presidente do BNB não informou detalhes sobre o empreendimento, mas deixou claro que o Estado a ser escolhido para sediar o futuro estaleiro vai ficar nas mãos dos investidores. Segundo ainda Smith, Ceará e Pernambuco estão no páreo porque são os que possuem no Nordeste, certa infra-estrutura para abrigar o negócio.

Segundo Pedro Eugênio de Castro, diretor de Gestão de Desenvolvimento do BNB, o dinheiro pode ser utilizado por qualquer empresa do País, que queira financiar a construção ou remodelação de embarcações. O Fundo é alimentado pela arrecadação das taxas cobradas dos armadores.

Castro informou que o banco financia até 80% do valor do projeto, e o empresário pode utilizar recursos do FMM. O primeiro passo é a entrega do esboço do empreendimento no Ministério de Transporte que faz a análise e se aprovado, libera recursos do fundo, com autorização do Conselho de Marinha Mercante, para o banco escolhido pelo empreendedor.

Potencial — No Ceará, a Indústria Naval Cearense (Inace) já constrói navios-patrulha para corporações militares de vários países e iates de luxo para mercados como os Estados Unidos e Europa, principalmente.

De acordo com Smith, o Fundo de Marinha Mercante poderá financiar a modernização de estaleiros. Nessas condições, a Inace poderia entrar no mercado naval de forma mais competitiva.

Reunião - O presidente do BNB participa hoje em São Paulo, de um seminário envolvendo empresários brasileiros e do Exterior, interessados em conhecer a região e nichos de investimentos.


Fonte: Diário do Nordeste
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar