acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
E&P

Minas Gerais tenta atrair investidores para explorar gás

03/06/2005 | 00h00

O governo de Minas Gerais vai reunir em Belo Horizonte, neste mês, um grupo de possíveis investidores para exploração de gás na região do Vale do São Francisco, no norte do Estado.
A meta do governo mineiro é estimular a criação de um consórcio e evitar que não apareça nenhum interessado na sétima rodada de licitação para pesquisa e prospecção da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), marcada para outubro. Estarão na licitação 43 lotes na porção mineira do Vale do São Francisco.
Há muitos anos se discute a existência de gás natural comercialmente viável na porção mineira do Vale do São Francisco. Mas, em licitações realizadas anteriormente pela ANP, nunca houve interessados em investir na região. O governo quer evitar que isso ocorra novamente.
"Estamos em outro momento, com uma maior preocupação em relação a presença do gás na matriz energética", diz o secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Wilson Brumer. O secretário tem conversado com executivos de empresas que poderiam investir na prospecção e garante estar otimista. Mas não revela os nomes das empresas que já foram contatadas.
Na reunião com possíveis interessados, cuja data ainda não foi definida, Brumer pretende convencer investidores apresentando números de estudos preliminares que já foram feitos na região e indicam boas possibilidades de viabilidade comercial para a exploração de gás.
Segundo o secretário estadual, a prospecção no Vale do São Francisco é muito importante para Minas Gerais e poderá significar um novo fator de desenvolvimento para a região. O governo mineiro não está trabalhando com a possibilidade de fazer parte de um consórcio para disputar a licitação, por meio de participação minoritária de empresas estatais. O que seria uma forma de dividir o risco com a iniciativa privada.
Mas não é uma possibilidade totalmente descartada, caso seja a única alternativa para viabilizar a formação de um consórcio, já que o governo parece disposto a viabilizar o negócio.
Estudos preliminares indicam que o investimento necessário para concluir a pesquisa na região é da ordem de US$ 10 milhões por área perfurada. A previsão é que o edital com as regras da licitação da ANP será publicado até o fim de agosto. Os grupos investidores deverão manifestar interesse e apresentar documentação em setembro. Em outubro deverá ser quitada a taxa de participação e apresentadas as propostas.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar