acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
12ª Rodada

Leilão teve 72 blocos arrematados

28/11/2013 | 14h10
Leilão teve 72 blocos arrematados
12ª Rodada de Licitações| TN Petróleo 12ª Rodada de Licitações| TN Petróleo

A 12ª Rodada de licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) teve 72 blocos arrematados, com um total de 12 empresas ofertantes - sendo oito brasileiras e quatro estrangeiras. Com um bônus total de R$ 165.196.596,08 e investimento mínimo previsto de R$ 503.525.800,00, o leilão teve 47.427,60 km² de área arrematada.

"Essa rodada buscou semear a cultura do gás natural no Brasil, focando a exploração onshore", afirmou a diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard. Segundo a executiva, em 2000 o gás natural correspondeu a 5% de nossa matriz energética, e em 2011 o insumo representa 10%.

"No Brasil, o gás vem ocupando espaço na matriz elétrica e também na energética em geral. O gás em terra abre novas perspectivas ao mercado nacional, podendo compensar também a infraestrutura de gasodutos existente no país". "Esperamos a rápida monetização do gás no país, assim como ocorre nos Estados Unidos, que atualmente possui capacidade considerável em eletricidade devido ao gás", disse o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Márcio Zimmermann.

Chambriard listou como os grandes sucessos da rodada: a pujância da Bacia do Paraná que surpreendeu a Agência, a região do Acre - que marca o desenvolvimento exploratório no Norte do país, e o reforço na Bacia do Parnaíba dando continuidade aos blocos ofertados na 11ª Rodada e reiterando a importância das bacias maduras que continuam atrativas, como Sergipe-Alagoas e Recôncavo. "Sergipe-Alagoas brilhou nesta rodada. Ela foi responsável por 24 dos 72 blocos com ofertas vencedoras", completou.

Sobre Parecis e São Francisco que não receberam ofertas, a diretora geral da ANP comentou: "É possível que as empresas não tenham se interessado por essas áreas por falta de conhecimento. Por isso vamos continuar investindo em estudos na região".

Perspectiva para 2014


Chambriard indicou que em 2014 não deverá acontecer rodadas de licitações. "2014 será um ano de reflexão interna na ANP. Acreditamos ser um ano de estudos com o objetivo de fazer um trabalho mais profundo oferecendo para a sociedade um resultado ainda maior", afirmou.

Segundo ela, a Agência lançará o próximo Plano Plurianual de Geologia e Geofísica, continuará com a perfuração de poços extratigráficos no Mato Grosso, além de fazer um balanço com todas as informações coletadas em 2013.

*Na foto, da esquerda para à direita: os diretores da ANP, Helder Queiroz; José Gutman; a diretora-geral Magda Chambriard e Waldyr Barroso.



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar