acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Preços

Irã diz que alta do petróleo causada pelos EUA irá retardar crescimento

13/07/2018 | 09h19

Um aumento nos preços do petróleo causado pela política de sanções dos Estados Unidos irá prejudicar o crescimento econômico da China, Europa e outros consumidores, muito semelhante às medidas comerciais do presidente norte-americano Donald Trump, disse uma autoridade de alto escalão do Irã nesta quinta-feira.

O governador iraniano da Opep também disse à Reuters que o aumento na produção de óleo pela Opep e seus aliados, depois de Trump ter pressionado a medida, foi de apenas 170 mil barris por dia (bpd) em junho e não avançaria muito em 2019, também pesando no crescimento econômico.

Enquanto Trump acusa a Organização de Países Exportadores de Petróleo de alçar os preços da commodity, o Irã, terceiro maior produtor da Opep, diz que os EUA causaram isso impondo sanções sobre o país e sobre o também integrante da Opep, a Venezuela.

"Os preços mais altos que Trump está causando estão direcionando uma conta mais alta de energia para a União Europeia, Japão, China e Índia, impactando os seus crescimentos econômicos assim como as tarifas impostas sobre eles, também impedindo a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos a pagarem sua conta de armas para os EUA", disse Hossein Kazempour Ardebili.

Os comentários ressaltam as tensões que ainda estão fervendo após a reunião da Opep no mês passado, quando o grupo concordou em retornar ao pleno cumprimento dos cortes anteriormente acordados na produção de petróleo, após meses de subprodução por países membros do cartel, incluindo a Venezuela.

A Arábia Saudita disse que o acordo permitiu que países capazes de produzir mais, como ele próprio, pudessem ir em frente e fazer isso, para compensar as deficiências em outros lugares. O Irã discordou fortemente e criticou os planos sauditas de aumentar a produção.



Fonte: Reuters, 13/07/2018
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar