acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

IGP-10 tem alta de 7,42% no ano, diz FGV

17/12/2012 | 10h16

 

O Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) fechou 2012 com inflação de 7,42%. A taxa é superior aos 5,33% observados no ano passado, segundo dados divulgados hoje pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O índice é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.
Em dezembro, o IGP-10 registrou alta de 0,63%. Em novembro, foi observada uma queda de preços (deflação) de 0,28%. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), a alta do IGP-10 no último mês do ano foi provocada por crescimentos nas taxas dos três subíndices que o compõem.
O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede a variação de preços no atacado, passou de uma deflação de 0,57% em novembro para uma inflação de 0,66% em dezembro. Entre os produtos que contribuíram para esse comportamento estão os alimentos in natura, que passaram de uma queda de preços de 4,45% para uma alta de preços de 2,01% no período.
Já o Índice de Preços ao Consumidor passou de 0,36% para 0,65%, com altas em cinco das oito classes de despesas que compõem o subíndice. Destaque para o grupo alimentação, que registrou uma inflação de 0,97% em dezembro, ante uma taxa de 0,3% no mês anterior.
O terceiro subíndice que integra o IGP-10, o Índice Nacional de Custo da Construção, passou de uma inflação de 0,22% no mês passado para uma taxa de 0,36% neste mês. A alta foi provocada pelo aumento de 0,46% no custo da mão de obra, que, em novembro, havia crescido apenas 0,09%.

O Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) fechou 2012 com inflação de 7,42%. A taxa é superior aos 5,33% observados no ano passado, segundo dados divulgados hoje pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O índice é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.


Em dezembro, o IGP-10 registrou alta de 0,63%. Em novembro, foi observada uma queda de preços (deflação) de 0,28%. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), a alta do IGP-10 no último mês do ano foi provocada por crescimentos nas taxas dos três subíndices que o compõem.


O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede a variação de preços no atacado, passou de uma deflação de 0,57% em novembro para uma inflação de 0,66% em dezembro. Entre os produtos que contribuíram para esse comportamento estão os alimentos in natura, que passaram de uma queda de preços de 4,45% para uma alta de preços de 2,01% no período.


Já o Índice de Preços ao Consumidor passou de 0,36% para 0,65%, com altas em cinco das oito classes de despesas que compõem o subíndice. Destaque para o grupo alimentação, que registrou uma inflação de 0,97% em dezembro, ante uma taxa de 0,3% no mês anterior.


O terceiro subíndice que integra o IGP-10, o Índice Nacional de Custo da Construção, passou de uma inflação de 0,22% no mês passado para uma taxa de 0,36% neste mês. A alta foi provocada pelo aumento de 0,46% no custo da mão de obra, que, em novembro, havia crescido apenas 0,09%.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar