Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Gás natural

Gás perderá competitividade após salto no preço da Petrobras, diz Abegás

30/04/2021 | 09h28

O salto de 39% do preço do gás natural da Petrobras vendido às distribuidoras a partir de 1º maio trará “forte impacto” para a competitividade do insumo frente a outros energéticos, afirmou a Abegás, associação que representa distribuidoras de gás canalizado.

A afirmação vem em um momento em que o governo federal lidera iniciativas para atrair investimentos e competição para o mercado de gás natural, por meio de novas regulações e da redução do papel da Petrobras, dominante no setor.

O ajuste, anunciado anteriormente pela petroleira, é trimestral e cumpre cláusulas contratuais junto às distribuidoras de gás. O gás é fonte de energia para térmicas, veículos e indústrias, dentre outros setores.

“Os aumentos no preço do gás natural não trazem benefícios para as distribuidoras”, disse a Abegás. “Ao contrário, acabam tirando competitividade do gás natural em relação aos outros combustíveis como a gasolina, óleo combustível, GLP (gás de botijão)”.

Segundo a associação, as distribuidoras têm margens reguladas e definidas pelas agências reguladoras estaduais atráves da fixação de margens de distribuição. Dessa forma, “não há qualquer ganho sobre o custo do gás que é repassado ao mercado pelo custo de aquisição”, afirmou.

A Abegás disse ainda que enviou propostas ao governo federal para atenuar o repasse do custo aos consumidores finais, mas que não houve convergência entre a Petrobras e os transportadores.

Dentre as propostas, as distribuidoras sugeriram opções de curto prazo, como um diferimento ou parcelamento do reajuste e a criação de uma “conta corrente” para amortizar os valores.



Fonte: Reuters, 30/04/2021
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar