acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mercado

Empresário perde a confiança na economia

15/04/2014 | 11h31

 

Empresário perde a confiança na economia, informa CNI
O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) atinge 49,2 pontos em abril, 
abaixo da linha divisória dos 50 pontos, o menor valor em cinco anos
O  Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI)  acentuou sua trajetória de deterioração em abril, informou nesta terça-feira, 15 de abril, a  Confederação Nacional da Indústria (CNI).  O ICEI recuou 3,3 pontos comparativamente a março e 6,2 pontos em relação ao mesmo mês de 2013, atingindo 49,2 pontos,  abaixo da linha divisória dos 50 pontos, o menor valor em cinco anos. O ICEI varia de 0 a 100 pontos e acima de 50 indica empresários confiantes.
"A falta de confiança desestimula o investimento e sinaliza que a indústria permanecerá com dificuldades para reencontrar o caminho de uma recuperação sustentada", destaca a pesquisa da CNI.  Por porte de empresas, a falta de confiança foi generalizada, atingindo mais as pequenas (48,7 pontos) e as médias (48,6 pontos) e ficando mais próxima da linha divisória dos 50 pontos (49,8 pontos) entre as grandes empresas, mas, mesmo assim, demonstrando desconfiança.
A queda na confiança atingiu todos os segmentos industriais abrangidos pela pesquisa. Embora positiva, por estar acima dos 50 pontos, é baixa a confiança da indústria da construção em abril (50,9 pontos, contra 53 pontos em março). A indústria de transformação, informa a pesquisa da CNI, mostra "quadro claro"  de falta de confiança, com índice de 48,2 pontos. O ICEI de 23 dos 27 setores da indústria de transformação está abaixo da linha divisória dos 50 pontos e seis deles (veículos automotores, outros equipamentos de transporte, como aviões, navios e trens, máquinas e materiais elétricos, couros e artefatos, madeira e borracha) registram índices inferiores a 45 pontos.
Apesar do recuo na confiança dos empresários industriais nas condições atuais da economia e da própria empresa,  suas expectativas para os próximos seis meses são otimistas, com 53,3 pontos, além da divisão dos 50 pontos.
A pesquisa do ICEI foi realizada entre 1º e 10 de abril com 2.346 empresas de todo o país,  das quais 889 de pequeno porte, 901 médias e 556 grandes.

O  Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI)  acentuou sua trajetória de deterioração em abril, informou nesta terça-feira, 15 de abril, a  Confederação Nacional da Indústria (CNI).  O ICEI recuou 3,3 pontos comparativamente a março e 6,2 pontos em relação ao mesmo mês de 2013, atingindo 49,2 pontos,  abaixo da linha divisória dos 50 pontos, o menor valor em cinco anos. O ICEI varia de 0 a 100 pontos e acima de 50 indica empresários confiantes.

"A falta de confiança desestimula o investimento e sinaliza que a indústria permanecerá com dificuldades para reencontrar o caminho de uma recuperação sustentada", destaca a pesquisa da CNI.  Por porte de empresas, a falta de confiança foi generalizada, atingindo mais as pequenas (48,7 pontos) e as médias (48,6 pontos) e ficando mais próxima da linha divisória dos 50 pontos (49,8 pontos) entre as grandes empresas, mas, mesmo assim, demonstrando desconfiança.

A queda na confiança atingiu todos os segmentos industriais abrangidos pela pesquisa. Embora positiva, por estar acima dos 50 pontos, é baixa a confiança da indústria da construção em abril (50,9 pontos, contra 53 pontos em março). A indústria de transformação, informa a pesquisa da CNI, mostra "quadro claro"  de falta de confiança, com índice de 48,2 pontos. O ICEI de 23 dos 27 setores da indústria de transformação está abaixo da linha divisória dos 50 pontos e seis deles (veículos automotores, outros equipamentos de transporte, como aviões, navios e trens, máquinas e materiais elétricos, couros e artefatos, madeira e borracha) registram índices inferiores a 45 pontos.

Apesar do recuo na confiança dos empresários industriais nas condições atuais da economia e da própria empresa,  suas expectativas para os próximos seis meses são otimistas, com 53,3 pontos, além da divisão dos 50 pontos.

A pesquisa do ICEI foi realizada entre 1º e 10 de abril com 2.346 empresas de todo o país,  das quais 889 de pequeno porte, 901 médias e 556 grandes.

 



Fonte: Redação TN/ Ascom CNI
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar