acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

Crédito do BNDES para infraestrutura pode chegar a R$ 59 bi em 2012

27/02/2012 | 17h45
O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou hoje (27) que o financiamento da instituição para infraestrutura neste ano deve ficar entre R$ 58 bilhões e R$ 59 bilhões. Ainda de acordo com ele, o crédito do banco para infraestrutura em 2011 deve ter alcançado pouco mais de R$ 54 bilhões.

"A presidenta Dilma tem nos orientado sobre a importância do investimento de longo prazo", acrescentou ele, durante aula no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos.

O presidente do BNDES ressaltou ainda que a Petrobrás tem o maior programa de investimentos do mundo entre as empresas internacionais de energia.

Coutinho afirmou que o crédito tem uma perspectiva de expansão muito grande no Brasil. Segundo ele, em 20 anos o crédito pode atingir 70% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Em aula no Instituto de Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos, Coutinho afirmou ainda que um dos desafios do Brasil é que o investimento cresça mais do que o consumo. Para ele, isso é importante para evitar pressões inflacionárias. Coutinho estimou que será preciso elevar o investimento para o equivalente a 24% do PIB. Em outro momento de sua fala, Coutinho disse que o Brasil precisa evitar a importação de poupança de 3 a 4 pontos porcentuais do PIB.


Salários

Coutinho disse  que a queda do desemprego no Brasil se faz num contexto de redução muito forte da taxa de natalidade. Na avaliação dele, em 2017, a PIA (População em Idade Ativa) deve começar a apresentar queda em termos absolutos.

"É inevitável e saudável que os salários subam", afirmou ele, acrescentando que "porém, é imperativo subir persistentemente a produtividade no Brasil". Ainda de acordo com ele, a produtividade terá que subir de 5% a 5,5% nos próximos anos para o país ter crescimento sustentável.


Fonte: Agência Estado
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar