acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócios

Consórcio japonês adquire 30% da Ecovix

23/10/2013 | 15h31
Consórcio japonês adquire 30% da Ecovix
Estaleiro Rio Grande/ Ecovix. Divulgação Estaleiro Rio Grande/ Ecovix. Divulgação

 

Um consórcio japonês, formado pelas empresas Mitsubishi Heavy Industries Ltd. (MHI), Imabari Shipbuilding Co. Ltd., Namura Shipbuilding Co. Ltd., Oshima Shipbuilding Co. Ltd. e Mitsubishi Corporation, adquiriu 30% do capital da Ecovix-Engevix Construções Oceânicas S.A. (Ecovix), empresa líder da indústria brasileira da construção oceânica. O contrato de compra e venda de ações (SPA - Stock Purchase Agreement) entre o consórcio japonês e os sócios brasileiros foi assinado na terça-feira (22) em Tóquio.
A iniciativa marca o primeiro investimento por um consórcio de estaleiros japoneses e uma trading internacional junto ao mercado brasileiro da construção oceânica, objetivando prosperidade recíproca por meio do aporte de tecnologias avançada e expertise operacional pelas empresas japonesas, em linha com a estratégia brasileira de promoção da indústria local.
A conclusão da aquisição ainda aguara a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), e será feita por meio de uma companhia de propósito específico (SPC – Special Purpose Company) a ser estabelecida no Brasil pelas cinco consorciadas. A MHI terá a maioria das ações dessa nova empresa e as restantes serão distribuídas entre as demais sócias japonesas.
“O portfólio de negócios e a capacidade operacional da nossa empresa aliados ao grande potencial do mercado brasileiro foram indispensáveis para a conclusão do acordo com um grupo de empresas da mais elevada capacidade técnica. Com esse negócio, ganhamos ainda mais força e consolidamos nossa posição de destaque no setor”, disse presidente da Ecovix, Gerson Almada. Na presença de autoridades japonesas e brasileiras, o contrato foi assinado em Tóquio por representantes das seis empresas.
A Ecovix é controlada pelo Grupo Jackson, empresa holding que consolida as atividades da empresa brasileira líder de engenharia, Engevix Engenharia, e também controla a Desenvix (geração de energia renovável) e a Infravix (gerenciamento de infraestrutura).
A Ecovix foi estabelecida em 2010 para a construção da primeira encomenda de oito cascos das Unidades Estacionárias de Produção (FPSO’s – Floating, Production, Storage and Offloading) da Petrobras, que darão suporte ao programa de exploração do petróleo na camada do pré-sal. Em Agosto de 2012, a empresa foi contemplada com novos contratos para o fornecimento de serviços de engenharia, suprimentos e construção de três navios sonda para a Sete Brasil.
As reservas de petróleo da camada do pré-sal foram as maiores descobertas de óleo das últimas décadas e representam um desafio tecnológico que tem sido superado com sucesso pela Petrobras. O Brasil espera não só atingir sua autossuficiência na produção de petróleo como tornar-se exportador nos próximos anos. Por esta razão a exploração e produção de petróleo a partir dessas reservas constituem-se em importante parte dos planos brasileiros para as próximas duas décadas.
Nessa mesma linha, o país vem adotando uma estratégia de atração de novas tecnologias e de desenvolvimento da indústria local, inclusive o da construção naval oceânica. Ao mesmo tempo, o país tem visto crescer sua demanda por navios e estruturas marítimas de todos os tipos, inclusive de navios-sondas e unidades estacionárias de produção (FPSO’s), que são equipamentos essenciais à exploração e produção de petróleo das camadas do pré-sal.
Com isso, segundo a empresa, a presença dessas importantes empresas japonesas de construção naval, por meio de sua participação no capital, possibilitará à Ecovix contar com suporte diferencial e contribuir decisivamente nos esforços empreendidos nacionalmente para o atendimento dos padrões de qualidade e de cumprimento de prazos na construção desses que são equipamentos críticos de exploração do pré-sal, bem como para atendimento da crescente demanda por maior segurança dos processos produtivos nos campos de exploração.

Um consórcio japonês, formado pelas empresas Mitsubishi Heavy Industries Ltd. (MHI), Imabari Shipbuilding Co. Ltd., Namura Shipbuilding Co. Ltd., Oshima Shipbuilding Co. Ltd. e Mitsubishi Corporation, adquiriu 30% do capital da Ecovix-Engevix Construções Oceânicas S.A. (Ecovix), empresa líder da indústria brasileira da construção oceânica. O contrato de compra e venda de ações (SPA - Stock Purchase Agreement) entre o consórcio japonês e os sócios brasileiros foi assinado na terça-feira (22) em Tóquio.

A iniciativa marca o primeiro investimento por um consórcio de estaleiros japoneses e uma trading internacional junto ao mercado brasileiro da construção oceânica, objetivando prosperidade recíproca por meio do aporte de tecnologias avançada e expertise operacional pelas empresas japonesas, em linha com a estratégia brasileira de promoção da indústria local.

A conclusão da aquisição aguarda a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), e será feita por meio de uma companhia de propósito específico (SPC – Special Purpose Company) a ser estabelecida no Brasil pelas cinco consorciadas. A MHI terá a maioria das ações dessa nova empresa e as restantes serão distribuídas entre as demais sócias japonesas.

“O portfólio de negócios e a capacidade operacional da nossa empresa aliados ao grande potencial do mercado brasileiro foram indispensáveis para a conclusão do acordo com um grupo de empresas da mais elevada capacidade técnica. Com esse negócio, ganhamos ainda mais força e consolidamos nossa posição de destaque no setor”, disse presidente da Ecovix, Gerson Almada. Na presença de autoridades japonesas e brasileiras, o contrato foi assinado em Tóquio por representantes das seis empresas.

A Ecovix é controlada pelo Grupo Jackson, empresa holding que consolida as atividades da empresa brasileira líder de engenharia, Engevix Engenharia, e também controla a Desenvix (geração de energia renovável) e a Infravix (gerenciamento de infraestrutura).

A Ecovix foi estabelecida em 2010 para a construção da primeira encomenda de oito cascos das Unidades Estacionárias de Produção (FPSO’s – Floating, Production, Storage and Offloading) da Petrobras, que darão suporte ao programa de exploração do petróleo na camada do pré-sal. Em Agosto de 2012, a empresa foi contemplada com novos contratos para o fornecimento de serviços de engenharia, suprimentos e construção de três navios sonda para a Sete Brasil.

As reservas de petróleo da camada do pré-sal foram as maiores descobertas de óleo das últimas décadas e representam um desafio tecnológico que tem sido superado com sucesso pela Petrobras. O Brasil espera não só atingir sua autossuficiência na produção de petróleo como tornar-se exportador nos próximos anos. Por esta razão a exploração e produção de petróleo a partir dessas reservas constituem-se em importante parte dos planos brasileiros para as próximas duas décadas.

Nessa mesma linha, o país vem adotando uma estratégia de atração de novas tecnologias e de desenvolvimento da indústria local, inclusive o da construção naval oceânica. Ao mesmo tempo, o país tem visto crescer sua demanda por navios e estruturas marítimas de todos os tipos, inclusive de navios-sondas e unidades estacionárias de produção (FPSO’s), que são equipamentos essenciais à exploração e produção de petróleo das camadas do pré-sal.

Com isso, segundo a empresa, a presença dessas importantes empresas japonesas de construção naval, por meio de sua participação no capital, possibilitará à Ecovix contar com suporte diferencial e contribuir decisivamente nos esforços empreendidos nacionalmente para o atendimento dos padrões de qualidade e de cumprimento de prazos na construção desses que são equipamentos críticos de exploração do pré-sal, bem como para atendimento da crescente demanda por maior segurança dos processos produtivos nos campos de exploração.



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação com Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar