acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Desinvestimento Petrobras

Com prejuízos desde que foi adquirida em 2013, Araucária Nitrogenados hibernará sua planta industrial

14/01/2020 | 11h28

Após encerradas as tentativas para venda da subsidiária Araucária Nitrogenados S/A (ANSA), a Petrobras aprovou a hibernação da fábrica de fertilizantes localizada na cidade de Araucária, no Paraná. A ANSA vem apresentando recorrentes prejuízos desde que foi adquirida em 2013.

Os resultados da ANSA, historicamente, demonstram a falta de sustentabilidade do negócio: somente de janeiro a setembro de 2019, a Araucária gerou um prejuízo de quase R$ 250 milhões. Para o final de 2020, as previsões indicam que o resultado negativo pode superar R$ 400 milhões. No contexto atual de mercado, a matéria-prima utilizada na fábrica (resíduo asfáltico) está mais cara do que seus produtos finais (amônia e ureia) e as projeções para o negócio continuam negativas. A Ansa é a única fábrica de fertilizantes do país que opera com esse tipo de matéria-prima.

A ANSA é uma subsidiária da Petrobras, com autonomia estatutária e personalidade jurídica distinta, patrimônio e gestão própria, adquirida da Vale Fertilizantes SA em 2013. Com a decisão, a Petrobras dá continuidade à sua estratégia de sair do segmento de fertilizantes e focar em ativos que gerem maior retorno financeiro e estejam mais aderentes ao nosso negócio.

Foram empenhados todos os esforços para a venda da empresa, cujo processo de desinvestimento iniciou-se há mais de dois anos. As negociações avançaram com a companhia russa Acron Group mas, conforme comunicado ao mercado em 26 de novembro, não houve efetivação da venda.

A fábrica permanecerá hibernada em condições que garantam total segurança operacional e ambiental, além da integridade dos equipamentos.

Desligamento de empregados prevê pacote de benefícios adicionais

Considerando que a fábrica a ser hibernada é o único ativo da ANSA, a empresa desligará seus 396 empregados. Eles receberão, além das verbas rescisórias legais, um pacote adicional composto de valor monetário entre R$ 50 mil e R$ 200 mil, proporcional à remuneração e ao tempo trabalhado; manutenção de plano médico e odontológico, benefício farmácia e auxílio educacional por até 24 meses, além de uma assessoria especializada de recolocação profissional. Quando adquirida pela Petrobras, em 2013, a ANSA já contava com o atual quadro de empregados. A ANSA se reuniu na manhã desta terça-feira, 14 de janeiro, com o sindicato para tratar desse tema.

A ANSA também está em fase final de negociação de convênio para oferecer programas de capacitação e requalificação profissional para as comunidades que ficam no entorno da fábrica, no município de Araucária. Serão oferecidas 1000 vagas para moradores destas comunidades. Desta forma, a empresa reforça seu respeito e compromisso com a sociedade, especialmente na região de influência de suas atividades.



Fonte: Redação/Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar