acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Investimentos

APEX-Brasil busca investimentos em energia solar e eólica no exterior

04/04/2016 | 13h04
APEX-Brasil busca investimentos em energia solar e eólica no exterior
Cortesia Vestas Cortesia Vestas

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) participa, nos dias 4 e 5 de abril, em Nova York, do fórum anual realizado pela Bloomberg para debater o futuro da energia. O fórum The Future of Energy Global Summit é um dos principais eventos mundiais sobre o assunto e reúne cerca de mil participantes, entre indústrias, investidores e lideranças do setor em painéis de debates, seminários informativos e oportunidades de networking.

Durante um almoço de negócios, a Apex-Brasil vai apresentar os avanços do mercado brasileiro nos setores de Energia Solar e Eólica a investidores e formadores de opinião. O debate terá a participação da gerente de Investimentos da Apex-Brasil, Maria Luisa Cravo Wittenberg, do presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, da presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Élbia Gannoun, e do diretor executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Rodrigo Sauaia.

“Será uma excelente oportunidade de posicionamento do Brasil nesses segmentos e de networking das nossas associações setoriais com importantes players dos segmentos de energia solar e eólica. Nossa expectativa é, com isso, sensibilizar investidores e formadores de opinião sobre as oportunidades que o Brasil oferece“, comenta Maria Luisa Cravo.

Oportunidades

O Brasil já está na lista de maiores produtores de energia eólica do mundo e oferece novas oportunidades de investimentos no setor. Estudo do Ministério de Minas e Energia aponta que o país foi o quarto colocado no ranking mundial de expansão de potência eólica em 2014. A China foi o primeiro colocado, com 23.149 megawatts, seguida da Alemanha, com 6.184 megawatts e Estados Unidos, com 4.854 megawatts. O Brasil teve uma expansão de potência instalada de 2.686 megawatts no período e a estimativa é de que a capacidade eólica instalada chegue a 24 mil megawatts em 2024. Desse total, 21 mil deverão ser gerados na região Nordeste.

O país já contratou cerca de 16,6 mil megawatts de energia eólica em leilões, sendo que aproximadamente 1,4 mil megawatts foram assegurados por meio do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas (Proinfa). O total contratado equivale à energia gerada pela usina hidrelétrica de Itaipu, e 7,8 mil megawatts já estão em operação.

Para o setor de energia solar, o Governo Federal lançou, no começo deste ano, o Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica (ProGD). O programa prevê o estímulo de geração de energia a partir de placas solares dentro das unidades consumidoras (residências, prédios, condomínios e lojas), que possa ser compartilhada com o sistema das distribuidoras de energia. O Governo estima um potencial de investimentos de R$ 100 bilhões nessas tecnologias e prevê a adesão de 2,7 milhões de unidades consumidoras ao programa até 2030.

 



Fonte: Assessoria APEX-Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar