acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
11ª Rodada

Apenas seis dos 24 blocos devolvidos para ANP encontram novos donos

24/09/2013 | 12h40

Apenas seis dos 24 blocos devolvidos na 11ª rodada de licitações de petróleo da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) encontraram novo comprador. Entre os 18 blocos "encalhados", 7 foram devolvidos pela OGX, do empresário Eike Batista, e 8 pela Petra Energia. Três foram devolvidos pela brasileira Sabre.



Quando são devolvidos após o leilão, os blocos são oferecidos aos segundos colocados pelo preço do vencedor. Se o segundo colocado não quiser ficar com o bloco, o mesmo é oferecido ao terceiro lugar e assim por diante.



Os 18 blocos que voltaram para a agência poderão ser novamente leiloados.



A OGX havia devolvido no total 9 dos 13 que conseguiu vencer na disputa no leilão, mas só conseguiu comprador para 2. A Petra devolveu 9, dos 28 adquiridos, e só repassou 1.



As duas foram as que mais devolveram blocos. A brasileira Sabre devolveu 3 blocos, dois na bacia Tucano, na Bahia (TUC-T-162; TUC-T-167) e um na bacia do Parnaíba, Maranhão (PN-T-169).



A maioria dos blocos da OGX encontraram dificuldade de serem repassados ao segundo colocado devido aos altos lances feito pelo empresário Eike Batista.



Mesmo assim, seu rival Rodolfo Landim, dono da Ouro Preto, ficou com um dos blocos, o PN-T-114, na bacia do Parnaíba, conforme antecipou a Folha na sexta-feira (20). A Ouro Preto foi a terceira colocada, atrás da Petra Energia, com lance de R$ 5,8 milhões pelo ativo. A oferta da OGX foi de R$ 6 milhões.



Voltaram para a ANP, após pagamento de multa pela OGX, dois blocos na bacia de Barreirinhas (BAR-M-251; BAR-M-389); um na bacia do Ceará (CE-M-663); um na bacia do Foz do Amazonas (FZA-M-184); e três na bacia do Parnaíba (PN-T-153; PN-T-168; PN-T-113).



Na bacia de Barreirinhas, por exemplo, onde a OGX fez os lances mais altos, a empresa ofereceu R$ 40 milhões (BAR-M-251) e R$ 80 milhões (BAR-M-389), enquanto a Ouro Preto, segunda colocada, ofereceu R$ 1,5 milhão e R$ 7 milhões, respectivamente.



Já a Petra repassou um dos blocos, também para a Ouro Preto, o PN-T-137, na bacia do Parnaíba. Voltaram para a agência outros oito blocos na mesa bacia que haviam recebido maior oferta da Petra.



Fonte: Folha de São Paulo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar