Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia eólica

AES Brasil firma memorando de entendimento com a Ferbasa para fornecimento de energia

13/01/2021 | 12h22
AES Brasil firma memorando de entendimento com a Ferbasa para fornecimento de energia
Divulgação Divulgação

A AES Brasil dá mais um passo em direção à estratégia de crescimento no País e acaba de firmar um memorando de entendimento (MOU) com a empresa Ferbasa para fornecimento de 80 MW médios de energia, por meio de um contrato de 20 anos, com início em 2024.

A energia adquirida pela líder em produção de ferroligas é de fonte 100% renovável, com entrega no submercado Nordeste e perfil flat, ou seja, todo mês será entregue a mesma quantidade de energia. O parque que atenderá as necessidades da empresa será construído dentro do Complexo Eólico Cajuína (RN). O projeto, previsto para iniciar a construção ainda em 2021, possui 165MW de capacidade eólica instalada, equivalentes a 92MW médios de energia assegurada a P50.

InstitucionalPara a AES Brasil esta parceria corrobora o planejamento da Companhia de crescer também buscando PPAs de longo prazo. “Este tipo de acordo firmado com a Ferbasa contribui para o aumento da previsibilidade dos nossos resultados e, também, colabora para que diversifiquemos cada vez mais o portfólio da empresa com fontes complementares à hídrica”, afirma Clarissa Sadock, atual CFO da AES Brasil, que assumirá a presidência a partir do próximo dia 15.

Segundo o CEO da Ferbasa, Marcio Barros, “essa é uma das iniciativas adotadas em linha com o Planejamento Estratégico da Companhia, no intuito de garantir o suprimento de energia a médio e longo prazo. Paralelamente, a empresa reduz o custo do insumo e abre perspectivas para a possibilidade de otimizar a produção, ainda que o volume a ser negociado não represente um aumento da nossa capacidade produtiva. É importante também destacar que esse passo, em conjunto com diversas outras ações, ratifica o nosso esforço em assegurar a competitividade e sustentabilidade da Ferbasa”, afirma.



Fonte: Redação TN Petróleo/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar