acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Oil & Gas 2016

22º Encontro de Asfalto, Rodada de Negócios, Arenas e o Projeto Libra

26/10/2016 | 08h11

A Rio Oil & Gas inaugurou hoje (25/10), o 22º Encontro de Asfalto, que acontecerá até quinta (27). No Encontro, foram apresentadas vantagens, técnicas e cases de sucesso no processo de reciclagem de estradas. Entre os benefícios das técnicas de reciclagem de asfaltos estão a redução de CO2 e gases do efeito estufa, a economia nos custos com combustível e materiais de construção, o aumento da durabilidade e da agilidade na construção.

Também teve início o Fórum de Engenharia, que discutiu que a política de conteúdo local no Brasil deve ser baseada em empresas aptas para a exportação, sem focar em todos os segmentos, mas em setores estratégicos e com vocação para ganharem competitividade. O diagnóstico foi apresentado por Telmo Ghiorzi, diretor da ABESPetro.

No Fórum, o gerente-geral da Petrobras para o projeto de Libra, Orlando Ribeiro, disse que o conteúdo local é um desafio e ressaltou as iniciativas da Petrobras para atingir a meta de custo de extração de US$ 35/barril neste campo gigante do pré-sal. Soluções inovadoras em reinjeção de gás e água no reservatório e em equipamentos subsea resultaram em uma economia de US$ 700 milhões.

Roberto Moro, diretor executivo de Desenvolvimento da Produção e Tecnologia da Petrobras, destacou que atualmente a engenharia tem papel fundamental na diminuição de custos de projetos, uma das prioridades da empresa. Dentre os avanços, Moro destacou a redução do custo médio de extração – de US$ 9,1 por barril de óleo equivalente em 2014 para US$ 8,3 em 2015, cifra que já atingiu um valor inferior a US$ 8 por barril neste ano.

Neste segundo dia da Rio Oil & Gas, começou também a Rodada de Negócios, iniciativa do Sebrae e da ONIP, que reúne 25 empresas âncoras do setor - como Chevron, GE, Shell e Technip - com 170 empresas fornecedoras de equipamentos e serviços. A expectativa é de que, até amanhã (27), quando terminar a Rodada , 570 reuniões tenham sido realizadas. O balanço final dos negócios fechados será divulgado no final do evento.

Somente nesta terça-feira, mais de 11 mil pessoas visitaram a Rio Oil & Gas. Os visitantes que passaram pela feira puderam interagir com simuladores, assistir a uma operação offshore no fundo do mar com óculos de realidade virtual, ver de perto um barco movido à energia solar e fazer uma viagem 3D à maior instalação flutuante de gás natural liquefeito (GLP). Das 540 empresas expositoras, a Dow, da indústria química norte-americana, chamou a atenção por apresentar inovações que contribuem para o aperfeiçoamento das operações das operadoras de petróleo. Quem visitou o estande da companhia pode conferir um novo portfólio para o mercado onshore de sistemas para o revestimento de linhas e dutos com isolamento térmico.

 

 



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar