Processo seletivo para estagiários

16/12/2022 11:58

Visualizações: 8893

Durante visita técnica dos alunos do curso de Engenharia de Transportes da Universidade Federal de Goiás (UFG), realizada no início deste mês, o empresário Marcos Alberto Campos, sócio-empreendedor do Antares Polo Aeronáutico, anunciou que, a partir de fevereiro do ano que vem, o empreendimento abrirá um processo seletivo para a contratação de estagiários, que irão atuar no canteiro de obras do aeroporto, que está sendo construído em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana de Goiânia.

"Ainda não definimos o número de vagas, mas certamente com o avanço das obras, teremos essas oportunidades para oferecer”, informou Marcos Alberto, que foi o anfitrião de uma visita realizada por cerca de 30 alunos do curso de Engenharia de Transportes. A atividade fez parte da 6ª Mostra Acadêmica de Engenharia de Transportes (MAET), promovida pela Faculdade de Ciência e Tecnologia (FCT) da UFG. Também durante a MAET, os alunos do curso puderam acompanhar uma palestra on-line do diretor comercial do Antares, Rodrigo Neiva.

Durante a visita dos estudantes universitários, Marcos Alberto, acompanhado do engenheiro responsável pelas obras do Antares, Breno Luiz Rojas, apresentou detalhes sobre as obras do polo aeronáutico que irá abrigar o maior e mais moderno aeroporto para aviação geral do centro-oeste brasileiro. “Acredito que esta seja uma oportunidade única para futuros profissionais, que têm dentre os seus nichos de atuação, a construção de aeroportos, conhecer de perto o início embrionário de uma obra como essa, que é grandiosa e complexa”, afirmou Marcos Alberto, durante a apresentação da maquete do Antares.

No futuro local do aeroporto, ele mostrou in loco o que os alunos puderam visualizar na maquete, como o posicionamento das cabeceiras da pista, da área de taxiamento e o laboratório de solo instalado dentro da obra. "Nesse laboratório fazemos análises e ensaios geotécnicos que subsidiam todas as nossas tomadas de decisões de forma a garantir a viabilidade e segurança total da obra, especialmente neste momento de terraplanagem”, explicou aos alunos o engenheiro civil Breno Luiz Rojas.

Oportunidade
Para o professor e vice-coordenador do curso de Engenharia de Transportes, João Paulo Souza Silva, uma visita técnica como a realizada ao Antares representa uma oportunidade ímpar para complementar a formação acadêmica dos alunos da graduação. “Momentos como esses, fazem com que eles possam ver na prática como os conteúdos teóricos são empregados no cotidiano da prática da profissão”, pontua o professor, que também acompanhou a visita juntamente com sua colega, a professora Michelle Carvalho Galvão, responsável pelas disciplinas de Projeto de Aeroportos, Tecnologia Aeroviária e Laboratório de Tecnologia Aeroviária na UFG.

João Paulo explica que o contato entre empresa e meio acadêmico oportuniza interações entre as instituições, diminuindo a distância entre teoria e prática profissional. Ele destaca ainda que por meio desse relacionamento entre universidade e setor privado é possível estabelecer parcerias com ganhos mútuos. “A academia auxilia a empresa no desenvolvimento de soluções fundamentadas na ciência, e por outro lado a empresa ajuda na inserção dos profissionais no mercado de trabalho”, pontua o professor.

O empreendimento
Com o início de suas operações previstas para 2024, quando será entregue a primeira de suas cinco etapas, o Antares é um empreendimento capitaneado por cinco empresas goianas: Tropical Urbanismo, Innovar Construtora, CMC Engenharia, BCI Empreendimentos e Participações e a RC Bastos Participações.

O projeto prevê investimentos da ordem de R$ 100 milhões e ocupará uma área de 209 hectares. Além de uma pista de pouso e decolagem para a operação de aeronaves de pequeno, médio e grande porte, o Antares contará com uma ampla infraestrutura voltada para os serviços de aviação, como hotel executivo, hangares, heliponto, terminal  de passageiros, restaurante, áreas para carga e descarga, estacionamento para aeronaves e hangares para empresas de manutenção e de logística.

Também está previsto na primeira etapa do projeto a entrega de 72 terrenos com metragens entre 1.000m² a 1.500 m², com toda a infraestrutura necessária, como energia elétrica, sistema de abastecimento de água, pavimentação asfáltica, rede de internet e área fechada com portaria monitorada. Essas áreas que estão sendo comercializadas deverão abrigar indústrias da área da aviação, empresas de logísticas, de táxi aéreo, serviço aeromédico, manutenção, hangaragem, escolas para formação de pilotos e outros.

Fonte: Redação TN com assessoria

Imagem: Assessoria de comunicação/Anderson Costa

Fale Conosco

Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.