Estar ocupado não significa ser produtivo: Conheça os perigos da ocupação improdutiva

22/11/2022 11:18

Visualizações: 8623

A produtividade é sem dúvida um dos maiores objetivos na vida profissional de muitos, a possibilidade de gerar mais resultados no mesmo tempo gasto soa como uma solução mágica, no entanto, exagerar na busca por produção pode causar o efeito contrário, entenda.

 

O que é a produtividade?

A produtividade é medida pela quantidade e qualidade das tarefas realizadas durante um determinado período, aumentar a sua produtividade é um dos principais fatores para atingir melhores resultados.

 

No entanto, é preciso ter cuidado para que essa busca não se torne excessiva e você acabe caindo em uma produtividade artificial, chamado de "ocupação improdutiva'' pela Executive Coach e partner da Sociedade do Saber, Sandra Raphael.

 

Ocupação improdutiva

"Os "incompetentes ativos" são pessoas "perigosas" por terem iniciativa, mas sem nenhum preparo ou conhecimento sobre o que estão fazendo. Agem por impulso, são imediatistas, falta serenidade e preparação para tomar as melhores decisões." Revela Sandra Raphael.

 

Muitas vezes, em busca de aumentar a produtividade, os períodos de descanso são ignorados e preenchidos com atividades sem necessidade direta, apenas para ter a sensação de estar usando o tempo, isso é perigoso pois acaba desgastando o profissional para as atividades que realmente importam, produtividade não diz respeito a ocupar 100% do seu tempo e sim usá-lo de forma mais assertiva.

 

"A boa produtividade é um processo que envolve tempo, perícia, domínio, paciência e horas de prática. É preciso reconhecer que a produtividade é fortemente afetada por condições emocionais, será tanto maior em ambientes onde exista segurança psicológica,  respeito, transparência e gestão por meritocracia." Ressalta Sandra sobre a necessidade de haver incentivo para que os colaboradores desenvolvam a "boa produtividade".

 

O perigo dos excessos

Buscar uma produção em quantidades exageradas normalmente surte o efeito contrário, "derrubando" os seus resultados, por estimular que sejam realizadas tarefas sem o cuidado necessário e pela ignorância dos períodos de descanso.

 

"Atuam com base em seus desejos, dificilmente consideram o coletivo e suas decisões tendem a comprometer o sucesso da empreitada, são perfis imediatistas, pseudo produtivos mas que na verdade não têm eficiência, domínio e muito menos produtividade." Aponta.

 

"A competência vem do estudo, das horas de prática, da perícia, do treino, da troca de experiências e vivências não apenas com quem domina o assunto em pauta mas  também com pessoas de outras áreas que tenham trajetórias de referência." Reforça Sandra Raphael.

 

Sobre Sandra Raphael Sandra Raphael, Administradora de Empresas e pós-graduada em Gestão, pela Nova School of Business & Economics – Lisbon, Portugal. Conselheira e Pesquisadora Convidada do Departamento de Ciência e Tecnologia da LUI - LOGOS UNIVERSITY INTERNATIONAL Master Coach certificada pela The International Association of Coaching e SLAC Sociedade Latino Americana e tem Certificação Internacional de Chief Happiness Officer. Fundadora da escola de negócios em Luanda, Angola. Palestrante, treinadora e consultora, especialista em multiculturalidade e interculturalidade. Vasta experiência nos mercados brasileiros, europeu e africano. Autora e co-autora de artigos e case studies sobre a Gestão em Ambiente Multicultural.

Fonte: Redação com assessoria

Fale Conosco

Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.