Carreira internacional: os 10 erros mais comuns que profissionais brasileiros cometem no exterior

07/12/2023 13:29

Visualizações: 3895

Alcançar a carreira internacional é o objetivo de muitos profissionais brasileiros, que buscam em outros países estabilidade financeira, crescimento na carreira e novas experiências pessoais e profissionais.

Mesmo depois de chegar a este patamar, no entanto, é necessário que o profissional esteja ciente que existem muitas diferenças entre o Brasil e o país escolhido, independentemente de qual seja. É o que explica Kátia Wendt, fundadora da Wendt Global, empresa especializada na realocação de profissionais.

“Trabalhar em outro país é uma conquista imensa, mas ‘apenas’ metade do caminho. O executivo precisa estar preparado para encarar uma série de mudanças, especialmente se estiver em um cargo de liderança, no qual será responsável por outras pessoas”, diz. “Para que tudo corra bem é preciso ir além de executar o trabalho com perfeição e entender costumes, culturas, pessoas, etc”, completa.

Abaixo, listamos os 10 maiores erros que executivos cometem em outros países. Veja:

Falta de compreensão cultural

Ignorar ou subestimar as diferenças culturais pode levar a mal-entendidos, conflitos e dificuldades de adaptação.

Comunicação ineficaz

Não se comunicar de forma clara e eficaz devido a barreiras linguísticas, diferenças culturais ou estilos de comunicação pode prejudicar a produtividade e os relacionamentos no trabalho.

Falha na adaptação

Não se adaptar ao novo ambiente, incluindo costumes, práticas comerciais e estilo de vida, pode dificultar a integração e a eficácia no trabalho.

Resistência à mudança

Alguns executivos  podem resistir a mudanças, tentando impor métodos e práticas que funcionam em seu país de origem, sem considerar a relevância ou eficácia local.

Falta de sensibilidade cultural

Não mostrar sensibilidade para com as tradições, valores e crenças locais pode criar tensões e dificultar o trabalho em equipe.

Desconhecimento das leis e regulamentos locais

Não compreender as leis, regulamentos e práticas comerciais do país hospedeiro pode levar a problemas legais e operacionais.

Falta de desenvolvimento de redes de apoio

Não construir relacionamentos sólidos com colegas locais ou outros profissionais na mesma situação pode limitar o apoio e a orientação disponíveis em um ambiente estrangeiro.

Expectativas irreais

Esperar que tudo funcione da mesma maneira que em seu país de origem pode levar a decepções e frustrações, especialmente se as expectativas não forem realistas em relação ao ambiente de trabalho e à cultura local.

Gestão inadequada da equipe

Não compreender as diferenças de estilo de gestão e não adaptar as abordagens de liderança à cultura local pode resultar em baixa produtividade e insatisfação da equipe.

Falta de habilidades de resolução de problemas interculturais

Não saber lidar com conflitos e desafios interculturais pode dificultar a colaboração eficaz e a resolução de problemas dentro da equipe e com stakeholders locais.

“Para evitar esses erros, os executivos devem investir tempo e esforço para aprender sobre a cultura local, desenvolver habilidades de comunicação intercultural, demonstrar flexibilidade e adaptabilidade, e estar abertos a aprender com a nova experiência. Um treinamento intercultural prévio à mudança e o apoio contínuo durante a estadia no exterior também podem ser muito úteis para evitar esses erros comuns”, finaliza a especialista. Mais informações sobre Katia Wendt estão em seu Instagram @katiawendt

Fonte: Redação TN com assessoria

Imagem: Divulgação

Fale Conosco

Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.