68% dos profissionais preferem falar sobre saúde mental com robôs em vez do seu gerente, revela estudo

05/12/2022 10:17

(0) (0) (0) (0) Visualizações: 10087

O estudo AI @ Work, desenvolvido pela Oracle e pela consultoria de RH Workplace Intelligence, revelou coisas surpreendentes sobre as preferências das pessoas no mercado de trabalho em relação a saúde mental.

O estudo aponta que 68% dos trabalhadores preferem falar com um robô do que com seu gerente sobre problemas de ansiedade e estresse. Revela também que 82% das pessoas acreditam que os robôs podem ser mais eficientes do que terapeutas humanos para ajudá-las com sua saúde mental.

De acordo com o estudo, muitas pessoas preferem se abrir com confidentes não-humanos por questões que envolvem desde o estigma sobre o tema da saúde mental, ao medo de serem julgados.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) pediram uma ação concreta para lidar com questões de saúde mental na população ativa.

Segundo dados da OMS 15% dos trabalhadores no mundo todo possuem transtornos mentais e estima-se que 12 bilhões de dias de trabalho são perdidos anualmente devido à depressão e ansiedade, custando à economia global quase US$ 1 trilhão.

Esses números nos apontam que a saúde mental tem sido uma das áreas mais negligenciadas da saúde pública no mundo.

 

Bullying e violência psicológica

O local de trabalho quando atua como fonte de discriminação e desigualdade gera um impacto negativo na saúde mental. O bullying e a violência psicológica estão entre as principais queixas de assédio ao trabalhador nas empresas. No entanto, discutir ou divulgar a saúde mental continua sendo um tabu nos meios profissionais em todo o mundo.

A crise é tão grave que pela primeira vez, a OMS recomenda treinamento de gerentes para desenvolver nesses profissionais a capacidade de prevenir ambientes de trabalho estressantes e responder a trabalhadores em sofrimento. 

"É hora de se concentrar no efeito prejudicial que o trabalho pode ter em nossa saúde mental", disse o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS.

 “À medida que as pessoas passam uma grande proporção de suas vidas no trabalho - um ambiente de trabalho seguro e saudável é fundamental. Precisamos investir para construir uma cultura de prevenção em torno da saúde mental no trabalho, remodelar o ambiente de trabalho para acabar com o estigma e a exclusão social e garantir que os empregados com condições de saúde mental se sintam protegidos e apoiados ”, disse Guy Ryder, diretor-geral da OIT.

A Convenção de Segurança e Saúde dos trabalhadores e o ambiente de trabalho OIT (Nº 155)  e Recomendação (Nº 164) fornecem uma estrutura legal para proteger a saúde e a segurança dos trabalhadores e das trabalhadoras. No entanto, o Atlas de Saúde Mental da OMS  revelou que apenas 35 % dos países relataram ter programas nacionais para promoção e prevenção da saúde mental relacionada ao trabalho.

 

Fonte: TN Petróleo com diversas fontes: OMS  e OIT

 

O estudo completo AI @ Work, desenvolvido pela Oracle e pela consultoria de RH Workplace Intelligence pode ser acessado na íntegra, aqui

 

Fale Conosco

Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.