acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Peças da Petrobras seguem viagem pelo reservatório da usina de Itaipu

20/08/2013 | 11h01
Peças da Petrobras seguem viagem pelo reservatório da usina de Itaipu
João Pedro de Mello Porto João Pedro de Mello Porto

 

O reator de ureia e um condensador da Petrobras, que chegaram a Itaipu neste mês, deixaram a prainha de Três Lagoas, em Foz do Iguaçu, e seguiram viagem pelo reservatório da usina, no domingo (18).
O transbordo começou às 14h45 e é feito por uma barcaça que levará os equipamentos por via fluvial até Três Lagoas (MS), cidade na qual a Petrobras está instalando uma fábrica de fertilizantes. No local, as estruturas desembarcam em um píer dentro da área da empresa e seguirão 12 quilômetros por terra até o destino final, no canteiro de obras.
Na segunda-feira (19), as peças estavão no trecho do reservatório em Santa Helena, a cerca de 70 km do local do embarque. A velocidade média da barcaça é de 11 km/h (6 nós). A viagem, de cerca de 750 km de distância, levará em torno de 8 dias.
As peças embarcadas integram um conjunto de 13 componentes da estatal que devem atravessar o reservatório de Itaipu. Antes delas, em junho, foram transportadas pela hidrovia do reservatório e do Rio Paraná um chiller da amônia e a caixa fria do purificador, ambas da estatal.
A maior estrutura do aparato - um reator de amônia com 761 toneladas - permanece na prainha até o retorno da balsa. O transbordo deve ocorrer na primeira semana de setembro, segundo previsão do consórcio responsável pela logística dos equipamentos.
As peças vieram de Mar del Plata, na Argentina, e entraram no Brasil pelo Porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul (RS).

O reator de ureia e um condensador da Petrobras, que chegaram a Itaipu neste mês, deixaram a prainha de Três Lagoas, em Foz do Iguaçu, e seguiram viagem pelo reservatório da usina, no domingo (18). O transbordo começou às 14h45 e é feito por uma barcaça que levará os equipamentos por via fluvial até Três Lagoas (MS), cidade na qual a Petrobras está instalando uma fábrica de fertilizantes. No local, as estruturas desembarcam em um píer dentro da área da empresa e seguirão 12 quilômetros por terra até o destino final, no canteiro de obras.


Na segunda-feira (19), as peças estavão no trecho do reservatório em Santa Helena, a cerca de 70 km do local do embarque. A velocidade média da barcaça é de 11 km/h (6 nós). A viagem, de cerca de 750 km de distância, levará em torno de 8 dias.


As peças embarcadas integram um conjunto de 13 componentes da estatal que devem atravessar o reservatório de Itaipu. Antes delas, em junho, foram transportadas pela hidrovia do reservatório e do Rio Paraná um chiller da amônia e a caixa fria do purificador, ambas da estatal.


A maior estrutura do aparato - um reator de amônia com 761 toneladas - permanece na prainha até o retorno da balsa. O transbordo deve ocorrer na primeira semana de setembro, segundo previsão do consórcio responsável pela logística dos equipamentos.


As peças vieram de Mar del Plata, na Argentina, e entraram no Brasil pelo Porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul (RS).



Fonte: Ascom Itaipu
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar