acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Oil & Gas 2016

Balanço: com anúncios importantes para o setor de petróleo e gás, terminou ontem o maior evento AL

28/10/2016 | 10h47

A 18ª edição da Rio Oil & Gas terminou ontem, após quatro dias de congresso, feira e eventos paralelos que reuniram autoridades, executivos e jovens profissionais do setor. O evento registrou 34.200 visitantes, 3.920 congressistas, mais de 140 palestrantes, 540 expositores e 300 jornalistas. No ambiente digital, a Rio Oil & Gas alcançou uma audiência de 3 milhões de pessoas.

“A Rio Oil foi um grande sucesso. Apresentou números exuberantes, mas quero destacar a abertura, com o presidente Temer, ministros e governadores. Nunca tivemos tantas presenças importantes assim”, comemorou o presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), Jorge Camargo.

Mais do que isso, Camargo ressaltou que os discursos mostram que o governo atual “será parte da solução”, e não um problema. O executivo mencionou as sinalizações positivas para a extensão do Repetro e para uma política focada e factível de conteúdo local.

Essa edição teve como destaque uma programação extensa que contou com 12 eventos simultâneos, debate aprofundado sobre os principais temas do setor e a expectativa de negócios de 181 milhões de reais nos próximos 12 meses da rodada de negócios da Onip-Sebrae. A Rio Oil reuniu ainda 450 jovens e estudantes no WPC Future Leaders Forum, evento internacional realizado pela primeira vez no Brasil.

No balanço final do evento, vários anúncios importantes para a indústria foram feitos. O secretário de petróleo e gás, Márcio Félix, anunciou a introdução do calendário fixo de leilões e uma nova política de exploração e produção, que assegurará previsibilidade e sustentabilidade para operadores e toda a cadeia de fornecedores no longo prazo. Félix também defendeu que pequenas e médias empresas de petróleo que atuam no onshore paguem menos royalties aos estados, municípios e à união.

A diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, informou que a 4ª rodada de licitação de campos marginais e em bacias maduras deve acontecer em março do ano que vem, com a oferta de 13 áreas inativas nas bacias do Recôncavo, Potiguar e Espírito Santo.

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, sinalizou a extensão do Repetro e a nova política de conteúdo local e a nova diretora de licenciamento ambiental do Ibama, Rose Hofmann, sinalizou que quer garantir à indústria um licenciamento ambiental mais célere, simplificado, padronizado e com processos eletrônicos.

O secretário do programa de parcerias de investimentos, Moreira Franco, garantiu que um dos objetivos do governo é fortalecer o setor de óleo e gás e o presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou um modelo para negociar refinarias em conjunto com dutos, terminais e outros empreendimentos de logística.

 



Fonte: Redação/Assessoria IBP
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar