acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Usiminas vai otimizar capacidade de produção de suas usinas

16/11/2010 | 09h23
O Conselho de Administração da Usiminas aprovou na última sexta-feira (12), o aprofundamento de estudos para o aumento de competitividade das atuais operações da Companhia por meio da otimização das usinas de Ipatinga (MG) e de Cubatão (SP). Com foco em qualidade, em redução de custos e no equilíbrio da capacidade da produção de aço com a de laminação, que atualmente encontra-se em expansão, os estudos vão abranger também melhoria da eficiência energética, o que inclui um maior aproveitamento dos gases gerados no processo produtivo.

 

Na reunião realizada na última sexta-feira, o Conselho decidiu também não dar prosseguimento aos planos de investimento em uma nova usina no município de Santana do Paraíso (MG). A decisão levou em conta a sua baixa atratividade, dadas as condições atuais do mercado siderúrgico.

 

Investimentos em curso

 

A Usiminas tem investido para reduzir os seus custos e agregar valor aos seus produtos com o objetivo de posicionar a empresa para capturar as oportunidades do mercado brasileiro de aço. A Companhia está executando um plano de investimentos de R$ 3,2 bilhões em 2010.

 

A recente entrada em operação da nova coqueria na usina de Ipatinga, investimento de R$ 707 milhões, é um importante projeto de redução de custos já implantado, tornando a usina autossuficiente em coque.

 

Estão em andamento outros grandes projetos em laminação e revestimento, que visam ampliar a atuação da Usiminas em mercados estratégicos. Um desses investimentos é a instalação da tecnologia de resfriamento acelerado de chapas grossas, denominada CLC, na usina de Ipatinga. Com orçamento de R$ 539 milhões, o equipamento irá permitir a fabricação de aços com alta resistência e soldabilidade, ideais para a aplicação nos projetos voltados para o pré-sal. A Usiminas será a única siderúrgica fora do Japão a deter a tecnologia do CLC.

 

Também na usina de Ipatinga está sendo instalada uma nova linha de galvanização a quente, que ampliará em 550 mil toneladas/ano a capacidade de produção da Companhia. A nova unidade proporcionará o aumento do fornecimento da empresa para mercados aquecidos como o de veículos automotores e linha branca. A previsão é de que a operação do equipamento tenha início no primeiro semestre de 2011.

 

Em sua usina de Cubatão, a Usiminas está instalando um novo laminador de tiras a quente com capacidade de produção de 2,3 milhões de toneladas/ano. Com as obras civis já em andamento e os principais equipamentos em fase de fabricação, a previsão é de que a operação tenha início no segundo semestre de 2011, permitindo a ampliação da participação da companhia em mercados estratégicos no segmento industrial.

 


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar