acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Usiminas indica argentino Eguren para presidência

18/01/2012 | 10h03
O grupo controlador da Usiminas anunciou ontem (17) a indicação do executivo argentino Julián Eguren para o cargo de diretor-presidente da empresa, em substituição do brasileiro Wilson Brumer, que estava no comando da companhia desde 2010.

O Conselho de Administração também aprovou novo acordo de acionistas, válido até 2031, depois que o grupo ítalo-argentino Techint anunciou em novembro a compra de participação de 27,7% no capital votante da maior produtora de aços planos do Brasil, em uma operação de R$ 4,1 bilhões e em que pagou ágio de mais de 80%.

A mudança é imediata, informou a companhia.

Eguren, 48, ocupava desde 2008 a presidência da unidade mexicana da Ternium, empresa do grupo Techint. Procurada, a Ternium no Brasil não se manifestou.

Para a Usiminas, a entrada da Techint no bloco de controle, no lugar dos grupos brasileiros Camargo Corrêa e Votorantim, fortalece "sua estrutura de governança e potencializa oportunidades de desenvolvimento e aumento de competitividade".

Em breve comunicado, Eguren afirmou que "iremos trabalhar em equipe na melhoria da eficiência operacional, oportunidades de mercado e melhoria de competitividade".

A escolha de nova gestão para a companhia acontece em um momento no qual o mercado avalia com cautela a mudança no grupo de controle da siderúrgica, que vem tentando melhorar seu nível de competitividade em meio ao excesso de capacidade produtiva mundial de aço e grandes importações do material no Brasil.

Segundo analistas do Deutsche Bank, com o comando da Usiminas em mãos, o grupo Techint vai buscar uma estratégia de melhora dos resultados da empresa por meio de aumento de produção, na tentativa de recuperar participação de mercado perdida para rivais como a CSN e mesmo para importações.

No terceiro trimestre de 2011, a Usiminas teve uma margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 11,5%, queda significativa ante os 22,7% de um ano antes e pior desempenho entre as siderúrgicas com ações listadas na Bovespa.

"Esperamos que um elemento importante da estratégia da Ternium para melhorar a lucratividade da Usiminas seja aumentar sua produção de aço. Enquanto a Usiminas vendeu 8 milhões de toneladas de produtos siderúrgicos em 2007, esperamos que o volume de vendas em 2011 seja de apenas 6,25 milhões de toneladas", afirmaram analistas do Deutsche em relatório.

"Nossos cálculos mostram que a produtividade da Usiminas em 2010 foi de 188 toneladas por empregado (por ano), que é 25% abaixo do nível da CSN", acrescentaram.

Com a conclusão da compra das participações antes detidas por Camargo Corrêa e Votorantim, o grupo de controle da Usiminas passa a ser formado pela Techint (com Confab, Ternium, Siderar e Prosid), Nippon Steel e Caixa dos Empregados.

Além de Eguren, o Conselho indicou Daniel Agustin Novegil, presidente do grupo Ternium, como conselheiro, juntamente com Roberto Caiuby Vidigal, presidente do Conselho da Confab, e Alcides José Morgante.

As ações preferenciais da Usiminas terminaram o dia em queda de 0,72%, cotadas a R$ 11,05. Já as ordinárias avançaram 1,78%, para R$ 17,18. O Ibovespa subiu 1,15%.


Fonte: Agência Reuters
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar