acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Evento

Sobena: 3o Workshop sobre Descomissionamento de Plataformas, acontece no próximo dia 17/07

09/07/2019 | 11h55

A indústria de construção naval e offshore está em busca de novas oportunidades em face da crise que afeta nosso País. Os estaleiros, no momento, estão com ociosidade por causa de ausência de demandas de construção. Assim sendo duas atividades surgem no horizonte: reparos navais e descomissionamento, também denominado de desmonte ou desmantelamento. Vamos abordar este último assunto que é novo para o mercado brasileiro, e que ainda carece de ajustes. O descomissionamento pode ser de embarcações inservíveis ou de plataformas em fim de ciclo. 

As plataformas flutuantes tais como os FPSOs e as sumi-submersíveis podem ser consideradas como embarcações e serem descomissionadas longe do seu ponto de operação enquanto as plataformas fixas (jaqueta) precisam geralmente de um tratamento doméstico. 

No mundo desmantela-se cerca de 700 a 800 embarcações e plataformas flutuante por ano, sendo 50% de médio a grande porte, e a maioria dos casos é desmantelada na Ásia em países como Índia, Bangladesh, Paquistão, China e Turquia de forma inadequada sem respeito a responsabilidade social e ao meio ambiente. 

Mas este quadro está se alterando em face das exigências da Organização Marítima Internacional (IMO) através da Hong Kong Convention (HKC-2009) e pela União Europeia através da Ship Recycling Regulation (SRR-2013). O SRR foi baseado na HKC, porém incluiu requisitos adicionais em termos de segurança e meio ambiente. Uma das principais exigências é que os navios só podem ser enviados para reciclagem em instalações certificadas pela UE. Abre-se um espaço para estaleiros brasileiros e para a cadeia produtiva deste segmento. 

Com 74 plataformas marítimas com mais de 25 anos de operação, o Brasil está ampliando o desenvolvimento de projetos de descomissionamento de sistemas de produção de petróleo offshore. Entre os projetos do tipo em desenvolvimento estão os do campo de Cação, na Bacia do Espírito Santo e de Marlim, na Bacia de Campos. 

Fundamentada nestes princípios, a SOBENA – Sociedade Brasileira de Engenharia Naval promove o 3o workshop sobre descomissionamento de plataformas a ser realizado 17 de julho de 2019.

Mais informações: 21 2263-9079 e 2283-2482 ou sobena@sobena.org.br



Fonte: Assessoria Sobena
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar