acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Sinobras trabalha para a autossuficiência em planos

09/04/2012 | 13h35
Investimento do Grupo Aço Cearense, maior importador de aço do Brasil, a Sinobras, primeira usina integrada das regiões Norte e Nordeste, representou para o grupo a autossuficiência em aços longos, zerando as importações.

Agora o grupo tenta alcançar a autossuficiência na área de aços planos por meio do projeto Alpa/Aline, investimento conjunto com a Vale. O Grupo Aço Cearense deterá 75% do capital da unidade de aços planos Aline (e a Vale os outros 25%), que vai beneficiar as placas semiacabadas produzidas pela Alpa, investimento exclusivo da Vale. O conjunto de investimentos permitirá a criação não só de um complexo siderúrgico no Pará reunindo a Sinobras e a Alpa/Aline, mas também um polo minero-metal-mecânico a ser instalado.

"O projeto de engenharia e a terraplanagem da planta da Aline estão prontos e previstos para entrar em produção em 2014. Mas estamos aguardando a conclusão das obras que permitirão a navegabilidade do rio Tocantins, que foram paralisadas após denúncias envolvendo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)", diz Cleyton Labes, diretor de sustentabilidade da Sinobras. "As obras da eclusa do rio foram concluídas em 2010, com investimentos de R$ 1,5 bilhão, mas falta a remoção dos Pedrais de Lourenço, que impedem a navegação em um trecho de 500 km e que devem consumir outros R$ 520 milhões".

A Sinobras consumiu investimentos de cerca de R$ 800 milhões e tinha um projeto original de 200 mil toneladas de aços longos anuais. Hoje a usina já está operando em uma planta com capacidade para 350 mil toneladas ao ano podendo chegar a 500 mil toneladas por ano.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar