acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Construção

SCGÁS inicia obras de travessia do rio Itajaí-Açu

18/08/2014 | 09h21

 

As obras do Projeto Serra Catarinense alcançaram nesta quinta-feira (14/08) a etapa de perfuração do Rio Itajaí-Açu, na altura do KM 112,8 em Ibirama. Com uma técnica denominada furo direcional, uma máquina de grande capacidade perfurará o local em uma extensão de 380 metros, a uma distância de 12 metros do leito do rio no seu ponto mais profundo. Esta etapa está prevista para ser concluída em aproximadamente 60 dias.
O procedimento é considerado complexo devido às características do solo da região, que é rochoso e de difícil perfuração. Um equipamento denominado “máquina perfuratriz direcional”, dotada de brocas mais resistentes para a escavação das rochas, foi contratada para a execução do serviço. De origem norte-americana, a máquina possui apenas quatro unidades semelhantes no Brasil.
Segundo o Gerente de Engenharia da SCGÁS, Carlos Pimentel, a obra não oferece risco ambiental. “A técnica do furo direcional é a melhor condição para o meio-ambiente, pois elimina qualquer contato dos equipamentos com as águas”, explica.
MAIOR DO BRASIL
Com investimentos na ordem de R$200 milhões, o Projeto Serra Catarinense é atualmente o maior do Brasil em construção de rede de distribuição de gás natural. O gasoduto de aproximadamente 230 km levará o atendimento do município de Indaial até Lages, beneficiando 16 municípios que passarão a ser atendidos com oferta de gás natural nos mercados industrial, comercial, residencial e automotivo (GNV).
Cósme Polêse, Presidente da SCGÁS, diz que a chegada do gás natural representará crescimento econômico e desenvolvimento social para a região. “A SCGÁS optou por investir em uma região carente em infraestrutura e, consequentemente, em investimentos. Interiorizar o gás significa levar oportunidades de negócio e de desenvolvimento a todos”, avalia.
O Projeto Serra Catarinense encontra-se em sua terceira fase de obras, que compreende o trecho entre Ibirama e Rio do Sul, do total de seis fases previstas. Os trabalhos seguem em duas frentes – do KM 112 ao 128 e do 128 ao 150, ambos em Ibirama – e estão dentro do cronograma. A conclusão destas duas frentes está calculada para até o fim de 2015.
Até agora já foram construídos aproximadamente 57 km de tubulações, um quarto do total previsto. A rede já implantada se encontra gaseificada até o município de Apiúna, com um cliente industrial do setor têxtil interligado.

As obras do Projeto Serra Catarinense alcançaram nesta quinta-feira (14/08) a etapa de perfuração do Rio Itajaí-Açu, na altura do KM 112,8 em Ibirama.

Com uma técnica denominada furo direcional, uma máquina de grande capacidade perfurará o local em uma extensão de 380 metros, a uma distância de 12 metros do leito do rio no seu ponto mais profundo.

Esta etapa está prevista para ser concluída em aproximadamente 60 dias.

O procedimento é considerado complexo devido às características do solo da região, que é rochoso e de difícil perfuração.

Um equipamento denominado “máquina perfuratriz direcional”, dotada de brocas mais resistentes para a escavação das rochas, foi contratada para a execução do serviço.

De origem norte-americana, a máquina possui apenas quatro unidades semelhantes no Brasil.

Segundo o Gerente de Engenharia da SCGÁS, Carlos Pimentel, a obra não oferece risco ambiental. “A técnica do furo direcional é a melhor condição para o meio-ambiente, pois elimina qualquer contato dos equipamentos com as águas”, explica.


Maior construção de rede de distribuição de gás natural do país

 Com investimentos na ordem de R$200 milhões, o Projeto Serra Catarinense é atualmente o maior do Brasil em construção de rede de distribuição de gás natural.

O gasoduto de aproximadamente 230 km levará o atendimento do município de Indaial até Lages, beneficiando 16 municípios que passarão a ser atendidos com oferta de gás natural nos mercados industrial, comercial, residencial e automotivo (GNV).

Cósme Polêse, Presidente da SCGÁS, diz que a chegada do gás natural representará crescimento econômico e desenvolvimento social para a região. “A SCGÁS optou por investir em uma região carente em infraestrutura e, consequentemente, em investimentos. Interiorizar o gás significa levar oportunidades de negócio e de desenvolvimento a todos”, avalia.

O Projeto Serra Catarinense encontra-se em sua terceira fase de obras, que compreende o trecho entre Ibirama e Rio do Sul, do total de seis fases previstas. Os trabalhos seguem em duas frentes – do KM 112 ao 128 e do 128 ao 150, ambos em Ibirama – e estão dentro do cronograma. A conclusão destas duas frentes está calculada para até o fim de 2015.

Até agora já foram construídos aproximadamente 57 km de tubulações, um quarto do total previsto. A rede já implantada se encontra gaseificada até o município de Apiúna, com um cliente industrial do setor têxtil interligado.

 



Fonte: SCGÁS
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar