acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Evento

RJ recebe Fórum Mundial de Ciência

25/11/2013 | 11h04

 

O vice-governador e coordenador de Infraestrutura do estado, Luiz Fernando Pezão, participou, na noite de domingo (24), da solenidade de abertura da 6ª edição do Fórum Mundial de Ciências 2013, no Theatro Municipal. Um dos eventos internacionais mais importantes relacionados à ciência, tecnologia e inovação, cujo tema este ano é “A ciência para um desenvolvimento sustentável mundial”, o fórum, que acontece no Rio de Janeiro até o dia 27, será realizado pela primeira vez fora de seu país sede, a Hungria, e terá a participação de 600 pesquisadores de 120 países.
O vice-presidente Michel Temer, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Irina Bokova, e o ministro da Ciência, Tecnologia e inovação, Marco Antônio Raupp, também estiveram na cerimônia. No final dos quatro dias de sessões plenárias, palestras e reuniões, os cientistas vão divulgar um documento com políticas em favor do desenvolvimento sustentável que podem ser adotadas por países e instituições.
Segundo o vice-governador, a escolha do Rio de Janeiro como sede do fórum é um reconhecimento do processo de crescimento da ciência brasileira, da sua importância e da qualidade de nossos pesquisadores. Ele destacou a grande concentração de universidades, centros tecnológicos e instituições de pesquisa no estado.
"Aqui estão localizados os principais centros de pós-graduação em engenharia, especialmente nas áreas de informática e de telecomunicações, e alguns dos mais importantes parques tecnológicos da América Latina. Estão aqui os centros de pesquisa da GE, L'Oreal, Microsoft, Intel, EMC, Vallourec, entre outros", disse.
Ainda de acordo com Pezão, o potencial científico e tecnológico é um dos motivos que fazem o estado do Rio receber, atualmente, a maior concentração de investimentos privados por metro quadrado de todo o mundo.
Em seu discurso, o vice-governador também ressaltou o maciço investimento do governo do estado em pesquisa cientifica, por meio da Fundação. Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa no Rio de Janeiro, a Faperj. "O montante este ano chegará a R$ 400 milhões. Desde 2007, o investimento total já chega a R$1,8 bilhão", concluiu.

Na noite de ontem (24), foi realizada a solenidade de abertura da 6ª edição do Fórum Mundial de Ciências 2013, no Theatro Municipal. Um dos eventos internacionais mais importantes relacionados à ciência, tecnologia e inovação, cujo tema este ano é “A ciência para um desenvolvimento sustentável mundial”, o fórum, que acontece na cidade até o dia 27, será realizado pela primeira vez fora de seu país sede, a Hungria, e terá a participação de 600 pesquisadores de 120 países.

A solenidade contou com a participação do vice-governador e coordenador de Infraestrutura do estado, Luiz Fernando Pezão; do vice-presidente Michel Temer; da diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Irina Bokova; e do ministro da Ciência, Tecnologia e inovação, Marco Antônio Raupp. No final dos quatro dias de sessões plenárias, palestras e reuniões, os cientistas vão divulgar um documento com políticas em favor do desenvolvimento sustentável que podem ser adotadas por países e instituições.

Segundo o vice-governador, a escolha do Rio de Janeiro como sede do fórum é um reconhecimento do processo de crescimento da ciência brasileira, da sua importância e da qualidade de nossos pesquisadores. Ele destacou a grande concentração de universidades, centros tecnológicos e instituições de pesquisa no estado.

"Aqui estão localizados os principais centros de pós-graduação em engenharia, especialmente nas áreas de informática e de telecomunicações, e alguns dos mais importantes parques tecnológicos da América Latina. Estão aqui os centros de pesquisa da GE, L'Oreal, Microsoft, Intel, EMC, Vallourec, entre outros", disse.

Ainda de acordo com Pezão, o potencial científico e tecnológico é um dos motivos que fazem o estado do Rio receber, atualmente, a maior concentração de investimentos privados por metro quadrado de todo o mundo.

Em seu discurso, o vice-governador também ressaltou o maciço investimento do governo do estado em pesquisa cientifica, por meio da Fundação. Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa no Rio de Janeiro, a Faperj. "O montante este ano chegará a R$ 400 milhões. Desde 2007, o investimento total já chega a R$1,8 bilhão", concluiu.

 



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação com Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar