acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Resultado

Receita extra infla lucro da Eletropaulo

14/03/2012 | 10h47
Receitas não recorrentes inflaram o resultado AES Eletropaulo no quarto trimestre. A empresa registrou um lucro líquido de R$ 686,7 milhões no período, mais do que o dobro dos R$ 310,8 milhões contabilizados de outubro a dezembro de 2010.

Um pagamento compensatório feito pela Companhia Brasiliana por conta da alienação da AES Eletropaulo Telecom pela TIM contribuiu em R$ 466,8 milhões para esse resultado. Excluído esse efeito, o lucro teria sido de R$ 219,9 milhões, queda de 30% na comparação anual.

Essa receita extraordinária impulsionou também o Ebitda (lucro antes de impostos, depreciação e amortização), que totalizou R$ 1,1 bilhão, o dobro dos R$ 542 milhões registrados entre setembro e dezembro de 2010.

Entre as receitas recorrentes, no entanto, os números foram menos animadores. Uma redução no consumo dos clientes no mercado cativo derrubou o faturamento bruto da companhia, que caiu 3,5%, para R$ 3,8 bilhões.

No mercado regulado, a receita bruta com fornecimento de energia cresceu 4,3%, para R$ 3,3 bilhões. A demanda dos segmentos residencial e comercial permaneceu firme, com altas de 3,1% e 2,6%, respectivamente, mas o consumo da indústria recuou 0,9%.

Uma alta de 3,7% nos tributos e encargos também pesaram, o que levou a receita líquida a um recuo de 7%, para R$ 2,4 bilhões. As despesas operacionais, por sua vez, cresceram 5,4%, somando R$ 1,8 bilhão. Na linha financeira, houve um prejuízo de R$ 21,8 milhões, contra a receita de R$ 31 milhões registrada no quarto trimestre de 2010.

Em 2011 como um todo, a AES Eletropaulo registrou lucro líquido de R$ 1,5 bilhão, alta de 16,7% sobre 2010. A receita líquida subiu 1,4%, para R$ 9,8 bilhões.

A dívida líquida da companhia, por sua vez, recuou 3,7% no período, para R$ 2,3 bilhões - um múltiplo de 0,8 vez seu Ebitda.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar