acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mercado

Petróleo supera os US$ 57

17/03/2005 | 00h00

O preço do petróleo atringiu novas altas na quinta-feira (17/03), obrigando a Opep a considerar um novo aumento de produção apenas um dia após do acordo de aumento de suprimento para brecar o avanço dos preços.
O petóleo leve norte-americano atingiu a alta de US$ 57,50 o barril e às 15h estava 79 centavos mais caro, a US$ 57,25. O Brent atingiu o recorde de US$ 56,15 a barril.
A Opep concordou na quarta-feira em aumentar a produção em aproximadamente em 500 mil barris por dia com efeito imediato. O acordo contempla a adição de mais 500 mil bpd se os preços não caírem.
"Se os preços continuam como agora, furante os próximos 7 ou 10 dias vamos começar com nossos contatos com nosso colegas e então poderemos consultar sobre o adicional de 500 mil", disse o presidente da Opep Sheikh Ahmad al-Sabah.
Com esta produção, próxima da mais alta em 25 anos, a Opep está se eforçando para atender à crescente demanda, encorajando a comunidade investidora a cree que a bolha do petróleo pode ir longe.
Os investidores estão diversificando seus negócios no mercado de energia e commodities conduzindo a média de preços do petróelo norte-americano a US$ 49,16, US$ 7,70 acima da média de 2004 e US$ 18 acima da média de 2003.
O presidente do Fundo Monetário Internacional, Rodrigo Rato, disse na quinta-feira que os preços do petróleo representam risco, mas que a expectativa de crescimento da economia mundial continua ser de 4% para 2005.
"A demanda de petróleo continua a demonstrar mais elasticidade do que o esperado. Por equanto não há nenhuma dinâmica óbvia em jogo para controlar a demanda significativamente", disse Paul Horsnell, da Barclays Capital.
"Claramente, em algum momento a eslaticidade da demanda vai começar a diminuir, mas os ajustes remarkably so far there is no such sign despite $55 oil," disse o economista Mehdi Varzi, da Dresdner Kleinwort Wasserstein.
A última alta do petróleo ocorreu depois do governo amerinado divulgar o informe de que os estoques de gasolina foram reduzidos em 2,9 milhões de barris, mais de três vezes do que a expectativa do mercado.
A demanda de petróleo dos Estados Unidos para as últimas quatro semanas, terminando em 11 de março, cresceu para 20,72 milhões de barris por dia, 1,5% acima do aumento do mesmo período no ano passado. O aumento da demanda devido ao clima frio, foi de 4,8% em relação ao ano anterior na semana de 11 de março, para 21,26 milhões de barris por dia.
Embora a Opep se esforçando para conter os preços antes da fraca demanda sazonal do segundo trimestres, os ministro da Opep disseram esta semana que os preços podem subir ainda mais em 2005.
A expectativa é de que a demanda mundial de petróleo aumente para 86,1 milhões de bpd durante o pico de manda do quarto trimestre, subindo de 83,7 milhões dos primeiros nove meses de 2005. As projeções são da Agência Internacional de Energia, baseada em Paris.
A Opep não está conseguindo muito apoio dos países produtores fora do cartel. A Noruega, o terceiro maior exportador de petróleo, disse que tem capacidade limitada de produção. A Opep pediu aos países produtores fora do cartel para que também aumentem sua produção, isso inclui Rússia e México.



Fonte: Reuters
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar