acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
PNG 2014 e 2018

Petrobras vai investir US$ 220,6 bilhões

26/02/2014 | 10h46

 

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou hoje (25) o Plano de Negócios e Gestão da empresa para o período 2014-2018 e o Plano Estratégico Petrobras 2030. O Plano de Negócios fixa para o período 2014-2018 investimentos de US$ 220,6 bilhões e tem como foco o curto e o médio prazo. No longo prazo, a meta da estatal é chegar a 2030 como uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo. Os dois planos serão apresentados amanhã (26) aos investidores e acionistas pela presidenta da Petrobras, Graça Foster, e pelos demais diretores da companhia.
De acordo com nota divulgada pela empresa, o Plano Estratégico Petrobras 2030 tem como premissa fundamental o crescimento da produção de petróleo da Petrobras até 2020 e sua sustentação no período 2020-2030, com potencial de produzir, em média, 4 milhões de barris de óleo por dia (bpd). Esta meta de produção tem como fundamento os diferentes ritmos de leilões que serão promovidos pelo governo, nos quais a empresa prevê, com os dados hoje disponíveis, que a produção de óleo no Brasil, incluindo a da própria Petrobras e a de terceiros, alcançará a média de 5,2 milhões de bpd no período 2020-2030.
A partir do crescimento da produção de óleo, o plano definiu as estratégias para os demais segmentos de negócios da empresa. O  destaque é para a atuação integrada da produção de petróleo e gás natural, com a expansão da capacidade de refino para 3,9 milhões de bpd em 2030 e com o crescimento da oferta de gás natural para o mercado brasileiro.
Na área de distribuição, a meta é manter a liderança no mercado doméstico de combustíveis, ampliando a preferência pela marca Petrobras. Na de gás, energia e gás-química, o plano propõe agregar valor aos negócios da cadeia de gás natural, garantindo a monetização do gás do pré-sal e das bacias interiores do Brasil. Também são fixadas no plano as metas de manter o crescimento em biocombustíveis, etanol e biodiesel, em linha com o mercado doméstico de gasolina e diesel.
Na área internacional, o Plano Estratégico recomenda ênfase na exploração de óleo e gás na América Latina, África e Estados Unidos. O plano estabelece diretrizes para a atuação corporativa da empresa nas áreas de rentabilidade, responsabilidade social e crescimento integrado. Segundo a nota, um dos desafios é manter o sistema tecnológico reconhecido por disponibilizar tecnologias que contribuam para o crescimento sustentável da estatal.

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou hoje (25) o Plano de Negócios e Gestão da empresa para o período 2014-2018 e o Plano Estratégico Petrobras 2030. O Plano de Negócios fixa para o período 2014-2018 investimentos de US$ 220,6 bilhões e tem como foco o curto e o médio prazo. No longo prazo, a meta da estatal é chegar a 2030 como uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo. Os dois planos estão sendo apresentados hoje (26) aos investidores e acionistas pela presidenta da Petrobras, Graça Foster, e pelos demais diretores da companhia.

De acordo com nota divulgada pela empresa, o Plano Estratégico Petrobras 2030 tem como premissa fundamental o crescimento da produção de petróleo da Petrobras até 2020 e sua sustentação no período 2020-2030, com potencial de produzir, em média, 4 milhões de barris de óleo por dia (bpd). Esta meta de produção tem como fundamento os diferentes ritmos de leilões que serão promovidos pelo governo, nos quais a empresa prevê, com os dados hoje disponíveis, que a produção de óleo no Brasil, incluindo a da própria Petrobras e a de terceiros, alcançará a média de 5,2 milhões de bpd no período 2020-2030.

A partir do crescimento da produção de óleo, o plano definiu as estratégias para os demais segmentos de negócios da empresa. O  destaque é para a atuação integrada da produção de petróleo e gás natural, com a expansão da capacidade de refino para 3,9 milhões de bpd em 2030 e com o crescimento da oferta de gás natural para o mercado brasileiro.

Na área de distribuição, a meta é manter a liderança no mercado doméstico de combustíveis, ampliando a preferência pela marca Petrobras. Na de gás, energia e gás-química, o plano propõe agregar valor aos negócios da cadeia de gás natural, garantindo a monetização do gás do pré-sal e das bacias interiores do Brasil. Também são fixadas no plano as metas de manter o crescimento em biocombustíveis, etanol e biodiesel, em linha com o mercado doméstico de gasolina e diesel.

Na área internacional, o Plano Estratégico recomenda ênfase na exploração de óleo e gás na América Latina, África e Estados Unidos. O plano estabelece diretrizes para a atuação corporativa da empresa nas áreas de rentabilidade, responsabilidade social e crescimento integrado. Segundo a nota, um dos desafios é manter o sistema tecnológico reconhecido por disponibilizar tecnologias que contribuam para o crescimento sustentável da estatal.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar