acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Política

Países do Mercosul terão fundo próprio para promoção de cooperativas

26/09/2012 | 09h46

 

O Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela) terá um fundo próprio para as cooperativas da região. O presidente das cooperativas do Uruguai, Fernando Berasain, disse que a decisão foi tomada durante reunião em Porto Alegre, no Rio Grande do  Sul, na primeira quinzena deste mês. No próximo dia 15, em Montevidéu, capital uruguaia, o assunto deve ser retomado para a definição dos últimos detalhes.
O fundo das cooperativas será semelhante ao Focem - que é o fundo destinado a financiar projetos que beneficiam o Mercosul. O novo sistema será chamado de Fundo de Promoção Cooperativa e deverá reunir um total inicial de US$ 300 mil. O governo do Brasil vai cooperar com 70% da contribuição, a Argentina com 27%, o Uruguai com 2% e o Paraguai vai contribuir com 1%. A Venezuela deve dividir com o Paraguai o total a ser repassado.
"Este fundo terá um aporte de capital proporcional dos institutos, muito semelhante ao de Convergência Estrutural do Fundo Mercosul [Focem]", disse o presidente do Instituto Nacional de Cooperativas do Uruguai, Fernando Berasain.
De acordo com ele, as associações e entidades de cooperativas, que compõem os países do Mercosul poderão apresentar projetos que visam à produção regional na tentativa de obtenção de apoio para financiamentos, por exemplo.
Berasain disse que na reunião do último dia 14 participaram representantes de cooperativas da Argentina, do Brasil e do Uruguai. Na ocasião, foi avaliada a entrada da Venezuela no Mercosul e a situação atual do Paraguai - que está suspenso do bloco até as eleições de 2013 devido à destituição de Fernando Lugo do poder.

O Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela) terá um fundo próprio para as cooperativas da região. O presidente das cooperativas do Uruguai, Fernando Berasain, disse que a decisão foi tomada durante reunião em Porto Alegre, no Rio Grande do  Sul, na primeira quinzena deste mês. No próximo dia 15, em Montevidéu, capital uruguaia, o assunto deve ser retomado para a definição dos últimos detalhes.


O fundo das cooperativas será semelhante ao Focem - que é o fundo destinado a financiar projetos que beneficiam o Mercosul. O novo sistema será chamado de Fundo de Promoção Cooperativa e deverá reunir um total inicial de US$ 300 mil. O governo do Brasil vai cooperar com 70% da contribuição, a Argentina com 27%, o Uruguai com 2% e o Paraguai vai contribuir com 1%. A Venezuela deve dividir com o Paraguai o total a ser repassado.


"Este fundo terá um aporte de capital proporcional dos institutos, muito semelhante ao de Convergência Estrutural do Fundo Mercosul [Focem]", disse o presidente do Instituto Nacional de Cooperativas do Uruguai, Fernando Berasain.


De acordo com ele, as associações e entidades de cooperativas, que compõem os países do Mercosul poderão apresentar projetos que visam à produção regional na tentativa de obtenção de apoio para financiamentos, por exemplo.


Berasain disse que na reunião do último dia 14 participaram representantes de cooperativas da Argentina, do Brasil e do Uruguai. Na ocasião, foi avaliada a entrada da Venezuela no Mercosul e a situação atual do Paraguai - que está suspenso do bloco até as eleições de 2013 devido à destituição de Fernando Lugo do poder.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar