acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mexilhão

Negociações são preliminares, afirmam Petrobras e Repsol

25/02/2005 | 00h00

Segundo o comunicado divulgado pela Petrobras, nesta quinta-feira (24/02), os entendimentos com a petroleira espanhola Repsol YPF para desenvolver a produção de gás natural da Bacia de Santos faz parte da rotina de negócios da empresa, que busca possibilidades de parceria com várias companhias para projetos no Brasil e no Exterior. A assessoria da Repsol informou que as negociações ainda estão muito incipientes e que a empresa concorda com o comunicado da Petrobras e não tem nada mais a divulgar.
A Petrobras explica que os entendimentos com a Repsol foram iniciados tendo em vista sua experiência na produção de gás natural e seu posicionamento estratégico no mercado de gás do Cone Sul, como também por participar, em conjunto com a Petrobras, da produção de gás na Bolívia e da venda desse gás ao Brasil, em condições que está permitindo impulsionar o desenvolvimento do mercado brasileiro de gás natural.
No detalhamento de seu atual plano de negócios, diversas alternativas estão sendo examinadas para o desenvolvimento da produção do gás descoberto na Bacia de Santos e para o atendimento ao mercado brasileiro de gás natural. Esse atendimento contempla a utilização de todas as reservas de gás no Cone Sul, incluindo Brasil, Bolívia e Argentina.
Dentre as alternativas de financiamento contempladas está o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), como também outras fontes, sempre consideradas pela Petrobras, no dimensionamento financeiro de seus projetos. O presidente do BNDES, Guido Mantega, afirmou que o Banco, caso seja procurado, poderá ser um dos agentes financiadores. A Petrobras está em processo rotineiro de revisar seu Planejamento Estratégico para refletir as mudanças no mercado brasileiro e no mercado internacional de petróleo e gás ocorridas no decorrer de 2004, após a aprovação de seu Plano de Negócios até 2010. Quando concluída, esta revisão será submetida a seu Conselho de Administração e devidamente comunicada ao mercado.
Caso as negociações com a Repsol YPF atinjam um estágio adiantado que justifique prognósticos positivos quanto a seu fechamento, inclusive quanto a aprovações necessárias, a Petrobras comunicará o fato ao mercado.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar