acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

MMX poderá ter crédito de R$ 900 mi do BNDES

22/10/2012 | 18h05

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovará nas próximas semanas financiamento da ordem de R$ 900 milhões para o porto da MMX, mineradora de Eike Batista, disse à "Reuters" uma fonte com conhecimento da operação.
O Superporto Sudeste, como é chamado pela empresa, está em fase avançada de construção no município de Itaguaí (RJ). É um projeto chave para a companhia escoar minério de ferro de seu principal projeto, Serra Azul, em Minas Gerais, e potencialmente de outras minas vizinhas, como a da Usiminas.
Procurada, a assessoria de imprensa da MMX não comentou a informação.
O apoio do banco de fomento para a construção do porto deverá ser concedido após o empresário Eike Batista, controlador da holding EBX, ter comprado 31,2 milhões de ações da MMX. Com isso, ele elevou sua participação na companhia de mineração para 46,4%, segundo anúncio feito nesta segunda-feira (22).
O porto da MMX, com investimentos previstos em R$ 2,4 bilhões, já recebeu em anos anteriores financiamento do BNDES de R$ 875 milhões.
Os recursos concedidos ao porto da MMX deverão fazer parte de um conjunto de desembolsos do BNDES para infraestrutura que podem chegar R$ 23,4 bilhões neste ano, ante cerca de R$ 18,7 bilhões liberados em 2011.
O banco de fomento já havia apoiado o projeto com um empréstimo de R$ 70 milhões, em 2009, e outro de R$ 805 milhões, em 2010.
A capacidade inicial de movimentação do Superporto será de 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.
Em uma segunda etapa, já em fase de licenciamento, o porto terá capacidade para movimentar até 100 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.
Cerca de 3 mil pessoas trabalham na construção do empreendimento, que tem previsão de iniciar as operações em 2013.
Serra Azul
Outro pedido de desembolso, para expansão da mina de Serra Azul, também está em vias de ser avaliado pelo banco de fomento, afirmou a fonte, pedindo para não ser identificada.
Em entrevista à "Reuters" em maio, o presidente da MMX, Guilherme Escalhão, afirmou que faltava pouco para formalizar pedido de financiamento ao BNDES para expandir Serra Azul.
Também dissera que havia possibilidade de reunir recursos de bancos de fomento asiáticos, que teriam acenado com disponibilidade da ordem de US$ 1 bilhão.
A MMX iniciou neste ano a expansão da sua mina de Serra Azul, um projeto de 29 milhões de toneladas de minério de ferro.
São sócios de Eike na MMX a chinesa Wisco (16%) e a coreana SK Networks (14%).
As ações da MMX operavam em alta de 0,47% às 14h55, enquanto o Ibovespa operava em queda de 0,11% por cento.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovará nas próximas semanas financiamento da ordem de R$ 900 milhões para o porto da MMX, mineradora de Eike Batista, disse à "Reuters" uma fonte com conhecimento da operação.


O Superporto Sudeste, como é chamado pela empresa, está em fase avançada de construção no município de Itaguaí (RJ). É um projeto chave para a companhia escoar minério de ferro de seu principal projeto, Serra Azul, em Minas Gerais, e potencialmente de outras minas vizinhas, como a da Usiminas.


Procurada, a assessoria de imprensa da MMX não comentou a informação.


O apoio do banco de fomento para a construção do porto deverá ser concedido após o empresário Eike Batista, controlador da holding EBX, ter comprado 31,2 milhões de ações da MMX. Com isso, ele elevou sua participação na companhia de mineração para 46,4%, segundo anúncio feito nesta segunda-feira (22).


O porto da MMX, com investimentos previstos em R$ 2,4 bilhões, já recebeu em anos anteriores financiamento do BNDES de R$ 875 milhões.


Os recursos concedidos ao porto da MMX deverão fazer parte de um conjunto de desembolsos do BNDES para infraestrutura que podem chegar R$ 23,4 bilhões neste ano, ante cerca de R$ 18,7 bilhões liberados em 2011.


O banco de fomento já havia apoiado o projeto com um empréstimo de R$ 70 milhões, em 2009, e outro de R$ 805 milhões, em 2010.


A capacidade inicial de movimentação do Superporto será de 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.


Em uma segunda etapa, já em fase de licenciamento, o porto terá capacidade para movimentar até 100 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.


Cerca de 3 mil pessoas trabalham na construção do empreendimento, que tem previsão de iniciar as operações em 2013.



Serra Azul


Outro pedido de desembolso, para expansão da mina de Serra Azul, também está em vias de ser avaliado pelo banco de fomento, afirmou a fonte, pedindo para não ser identificada.


Em entrevista à "Reuters" em maio, o presidente da MMX, Guilherme Escalhão, afirmou que faltava pouco para formalizar pedido de financiamento ao BNDES para expandir Serra Azul.


Também dissera que havia possibilidade de reunir recursos de bancos de fomento asiáticos, que teriam acenado com disponibilidade da ordem de US$ 1 bilhão.


A MMX iniciou neste ano a expansão da sua mina de Serra Azul, um projeto de 29 milhões de toneladas de minério de ferro.


São sócios de Eike na MMX a chinesa Wisco (16%) e a coreana SK Networks (14%).


As ações da MMX operavam em alta de 0,47% às 14h55, enquanto o Ibovespa operava em queda de 0,11% por cento.

 



Fonte: Agência Reuters
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar