acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indústria naval

Leilão para poucos e trabalho para todos

16/03/2005 | 00h00

Licitação da Transpetro acaba hoje e tem dois favoritos

Contrato para poucos, mas com participação indireta de muitos. Esta é a expectativa da indústria do petróleo e de especialistas para a licitação de 42 petroleiros da Transpetro, cujo prazo de entrega de propostas termina hoje.
Num primeiro momento, a concorrência promete se concentrar em um pequeno número de grupos vencedores do processo licitatório. Os vitoriosos, contudo, terão de diversificar a carteira de fornecedores para cumprir prazos de entrega com o elevado conteúdo nacional mínimo exigido pela Petrobras, na avaliação dos próprios estaleiros.
- Apenas dois grupos devem vencer a licitação. A Transpetro fala muito em escala e produtividade. Os consórcios Aker/Promar e Camargo Côrrea devem sair na frente - arrisca o especialista Alceu Souza, subsecretário de Energia, Indústria Naval e Petróleo do Estado do Rio de Janeiro.
Além da produtividade, a licitação da Transpetro exigirá garantias que nem todos os candidatos poderão oferecer. O presidente da estatal, Sérgio Machado, afirmou ontem que pelo menos 77 empresas compraram o edital. Segundo ele, as garantias exigidas para a obtenção de empréstimo junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não diminuem o apetite dos investidores.
A Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip) espera que a renovação da frota da Transpetro abra perspectivas para centenas de fornecedores. A aposta se baseia no tamanho das encomendas, da ordem de US$ 2 bilhões.
Um executivo de um estaleiro nacional, que preferiu o anonimato, identifica uma tendência de desconcentração das encomendas entre os estaleiros que disputarem a licitação. Segundo ele, mesmo que muitos estaleiros nacionais possam ficar de fora do rol de vencedores da licitação, os ganhadores deverão transferir parte das encomendas arrematadas na concorrência para eles. Não haverá, segundo esse mesmo executivo, condições de uma mesma unidade naval construir um número muito grande de embarcações no prazo exigido pela Transpetro.



Fonte: Jornal do Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar