acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Klüber Lubrication expande no setor de energias renováveis na América do Sul

17/09/2010 | 12h23
O mercado de energias renováveis no Brasil deixou de ser uma tendência para se tornar realidade. Dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), ligada ao Ministério de Minas e Energia, mostram que 85,4% da energia produzida no País provêm de energias renováveis. Para atender a demanda neste mercado em constante crescimento e ampliar ainda mais a sua atuação no continente sul-americano, a Klüber Lubrication South America (KLSAM), do Grupo Freudenberg, de origem alemã, desenvolveu uma série de soluções em lubrificação de baixo impacto ambiental e de excelente relação custo / benefício, à medida que garantem melhor desempenho dos equipamentos com muito menos substituição dos lubrificantes.


"Um dos nossos objetivos no mercado sul-americano é o desenvolvimento, produção e comercialização de soluções em lubrificação para áreas estratégicas, como a de energias renováveis, por exemplo, que dispõe de grande potencial de crescimento, acima da média de outras atividades econômicas, e atração de altos investimentos na diversificação das nossas matrizes energéticas", comenta Enrique Garcia, diretor geral da Klüber na América do Sul. Entre as soluções da Klüber, destaque para o fornecimento de graxas e óleos (sintéticos e minerais).

Etanol
No campo brasileiro de energia renovável, dois setores têm chamado a atenção da Klüber. Um deles é a produção nacional de etanol, que conta hoje no País com um parque de 423 usinas que produzem mais de 28 milhões de litros ao ano, segundo dados da EPE. Além disso, o potencial deste mercado pode ser observado pela tecnologia dos veículos Flex Fuel, que já representam 86,2% da frota brasileira de veículos, segundo levantamento da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Neste setor, um caso de sucesso da Klüber é o desenvolvimento de uma solução de ótima integração do uso de lubrificante à gestão dos recursos financeiros, saúde e meio ambiente. Segundo Jorge Efrain Rey de Oliveira, gerente de mercado da Indústria Leve, grande parte do mercado usa lubrificantes asfálticos para lubrificar moendas de cana (equipamento que gera o caldo da cana que, mais tarde, transforma-se em açúcar ou etanol) e, com a solução de lubrificantes semissintéticos, o consumo de lubrificantes se reduz em cerca de oito vezes. "Isso representa economia de cerca de 40% nos gastos com lubrificante para esta aplicação e causa menor impacto ambiental, pois nosso produto é biodegradável, ao passo que o asfáltico é tóxico e pode causar problemas à saúde", explica.


Energia eólica
 
 
O potencial de expansão do parque eólico brasileiro também chama a atenção da Klüber Lubrication, que desenvolveu uma linha completa de soluções de alto desempenho em lubrificação para o setor. A equipe técnica da companhia frisa se tratar de uma linha composta por lubrificantes de reconhecimento internacional, que contribuem para maior eficiência dos elementos e maior confiabilidade operacional. Entre os diferenciais dos produtos, está o fato de estes lubrificantes suportarem longos períodos de utilização, o que possibilita o aumento do tempo entre os intervalos de lubrificação. Outro ponto alto é que os clientes podem contar com um portfólio internacional, com suporte técnico local. Neste setor, o gerente de mercado Indústria Pesada da empresa, Francesco Lanzillotta, explica que as turbinas eólicas funcionam como moinhos acionados pelo vento e, desta forma, produzem energia elétrica por meio de um gerador, sendo este um processo que necessita de lubrificação constante. "As turbinas não podem parar e o lubrificante da Klüber proporciona a confiabilidade necessária e longos períodos de relubrificação", ressalta.


A Klüber, inclusive, que já atua há alguns anos neste setor nos Estados Unidos (EUA) e em países da Europa, estruturou o GATE (Global Action Team), um grupo de especialistas que se dedicam exclusivamente a este mercado. No Brasil, para atender de forma eficiente, a empresa desde 2008 vem investindo na capacitação dos profissionais ligados ao desenvolvimento de soluções para este mercado. "Em todos os mercados que participamos, grande parte dos investimentos se dá justamente na capacitação dos profissionais, pois já temos excelente capacidade produtiva", enfatiza Enrique Garcia.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar