acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Investimentos de mais US$ 2,5 bi no Rio Grande do Sul

07/12/2009 | 09h17
Em seminário sobre o pré-sal, sexta-feira (4), em Porto Alegre, o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli,  informou que dos US$ 174,4 bilhões de investimentos previstos no Plano de Negócios da Companhia até 2013, mais de US$ 2,5 bilhões serão destinados ao Rio Grande do Sul, em projetos no Pólo Naval de Rio Grande, em novas unidades da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) e novas instalações do Terminal de Rio Grande (TERIG), entre outras iniciativas. Gabrielli lembrou a importância da indústria naval gaúcha para o setor de petróleo e gás e reforçou a política da Petrobras de manter um mínimo de 65% de conteúdo nacional nas contratações para o setor.


O presidente falou sobre a importância da qualificação da mão-de-obra diante dos grandes desafios do pré-sal e reforçou que o Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás) treinou, até o momento, cerca de dois mil profissionais no Rio Grande do Sul. Outras três mil pessoas devem passar pelo Programa até 2013. Gabrielli afirmou que 87% dos profissionais já capacitados pelo Prominp estão hoje empregados na cadeia de fornecedores da Petrobras e indústria de petróleo e gás.


Na ocasião Gabrielli apresentou os desafios da exploração do petróleo na camada do pré-sal e ressaltou que a produção brasileira de petróleo e gás deverá ser elevada em 7,5% ano, em média, até 2020, apenas com as áreas do pré-sal já concedidas. Segundo ele, o teste de formação realizado em Guará, na Bacia de Santos, “obteve resultados extraordinários, já que a capacidade de produção de um único poço alcançou 50 mil barris/dia. Ainda não podemos dizer exatamente qual o tamanho exato das reservas do pré-sal, mas é certo que trata-se de algo grandioso”, afirmou Gabrielli.


Gabrielli defendeu a escolha da Petrobras como operadora única do pré-sal. “A Petrobras é atualmente a maior operadora do mundo em águas profundas, com 22% de participação, é quem mais conhece o pré-sal. Ao controlar a operação, a Companhia poderá decidir qual a tecnologia a ser empregada, a forma de produzir e haverá a garantia de que o conhecimento adquirido com os campos do pré-sal ficará retido no país”, disse.


Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar