acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Retomada

Guinada econômica aumenta nível de investimento no País

13/09/2016 | 11h56

Diante de previsões do mercado financeiro de que os juros básicos (Selic) vão cair ao longo dos próximos meses, investidores começam a tirar projetos da gaveta. Para eles, mais importante do que o cenário atual é o que será do País nos próximos anos e a expectativa é de um Brasil de oportunidades.

Indicadores importantes divulgados nos últimos meses sugerem que o momento é de começar a apostar no setor produtivo. Como revelam os dos dados do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre, os primeiros movimentos já tiveram início.

A taxa de investimento da economia, medida por um indicador chamado de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), registrou a primeira alta depois de 10 trimestres consecutivos de queda – o avanço foi de 0,4% frente aos três encerrados em março.

Raul Velloso, consultor econômico do setor privado, explicou que para obter lucro lá na frente, os investimentos precisam ser feitos com meses de antecedência. Essa estratégia de quando aplicar ou não o dinheiro na economia real, segundo ele, está associado às expectativas em torno da Selic e da inflação.

Investimentos no Brasil

“Como alguém vai tomar uma decisão que vai ter impacto daqui a cindo anos se ele não construir na cabeça uma expectativa sobre o que vai ser a taxa de juros no futuro?”, questiona o economista.

Ele pondera, no entanto, que se for uma decisão de consumo imediato, as expectativas têm impacto reduzido. No entanto, quando há um prazo de financiamento ou para o negócio se concretizar, é preciso projetar e desenhar expectativas, o que na prática é ponderar o que pode afetar aquele negócio.

“Se alguém vai investir durante cinco anos, tem de imaginar qual vai ser o custo do dinheiro ao longo desse período para poder planejar o pagamento de um financiamento, por exemplo”, observa.

Outros indicadores ilustram esse movimento de investidores. Os estrangeiros, de olho nas expectativas para a economia, já aplicaram US$ 33,9 bilhões até julho. Para o ano, o Banco Central espera que essa cifra suba para US$ 70 bilhões.

Oportunidade de negócios

A indústria, por exemplo, vem registrando bom desempenho. Mesmo com a produção ainda se recuperando dos últimos anos de crise, tem apresentado boas oportunidades para investidores e recebeu US$ 8,6 bilhões em investimentos estrangeiros – volume 8,08% maior que o registrado no ano passado.

Outros segmentos da economia também têm se beneficiado desse dinheiro de fora. Serviços ficou com US$ 10,7 bilhões do total destinado ao Brasil em 2016 até o momento. O setor de agricultura, pecuária e extrativa mineral, também com boas oportunidades e projetos, recebeu US$ 3,8 bilhões.

Além do que a economia já oferece, o governo preparou uma agenda de investimentos que serão executados por meio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), divulgado nesta terça-feira (13) no Palácio do Planalto. Com essa medida, mais oportunidades de negócio serão criadas para que o País possa voltar a gerar emprego e renda.



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar