acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

GDF Suez entra no setor de exploração de gás pela primeira vez no Brasil

14/11/2013 | 09h04

 

GDF SUEZ entra no setor de exploração de gás pela primeira vez no Brasil
Companhia assina acordo para compra de participação da Vale em dois blocos de gás na bacia do Parnaíba
 
Rio de Janeiro, 14 de novembro de 2013 - A GDF SUEZ assinou um ‘Acordo de Compra de Ativos’ com a Vale S.A. (Vale), uma das maiores empresas na área de metais e mineração no mundo, para adquirir sua participação de 20% em dois blocos de exploração de gás na bacia onshore do Parnaíba, localizada no Nordeste do Brasil[1].
 
A assinatura do APA (asset purchase agreement) marca a primeira entrada da GDF SUEZ, maior geradora privada de energia elétrica do país, nas atividades de exploração e produção no Brasil.
 
Os blocos abrangem uma área de 3.067 km² e 3.065 km² respectivamente, em uma região relativamente pouco explorada, com alto potencial de gás natural. Essas licenças foram concedidas em março de 2008 como parte da 9a rodada de licitações para exploração à Vale (20%), BP (40%, operadora do bloco 2) e Petrobras (40%, operadora do bloco 3). Até março de 2014, está programado um poço de exploração em cada um desses dois blocos.
 
Didier Holleaux, CEO da GDF SUEZ E&P International, destaca a importância desta operação: “Por meio dessa aquisição, a GDF SUEZ dá o seu primeiro passo nas atividades de exploração e produção no Brasil. Essa operação nos permite trabalhar com sócios experientes, em uma região ainda pouco explorada, mas que possui claro potencial para o gás natural.”
 
Maurício Bähr, CEO da GDF SUEZ no Brasil, afirmou: “A combinação da experiência internacional da GDF SUEZ nas atividades de exploração e produção, juntamente com a nossa presença relevante no mercado de eletricidade brasileiro, representa uma atuação forte do Grupo no Brasil. Esperamos que o gás natural desempenhe um papel essencial no mix energético futuro e, portanto, o acesso direto ao gás é um importante incremento na posição da GDF SUEZ no país.”
 
GDF SUEZ, maior produtora independente de energia no Brasil
A GDF SUEZ, através de sua subsidiária Tractebel Energia, é a maior produtora independente de energia no Brasil, representando aproximadamente 7% da capacidade total de geração instalada do país.  87% da capacidade de 8.522 MW são provenientes de fontes renováveis. Sua posição em fontes renováveis tem sido reforçada pela construção de novos parques eólicos na região nordeste.
Atualmente, a GDF SUEZ está também construindo no Rio Madeira, no estado de Rondônia Jirau, uma das maiores hidrelétricas em construção no país, e que irá gerar 3.750 MW. O projeto, que produzirá energia limpa e renovável para atender às necessidades de eletricidade de 10 milhões de residências, foi recentemente registrado junto às Nações Unidas sob o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo. O Grupo está igualmente presente nos serviços relacionados à energia e vem suprindo o mercado brasileiro com GNL desde 2012.
 
A GDF SUEZ E&P International detém uma carteira equilibrada de 344 licenças de exploração e/ou produção (54% operadas) entre regiões maduras e zonas de exploração de alto potencial em 16 países com uma produção de 54.9 milhões de barris de óleo equivalente (Mboe) e 836 Mboe de reservas 2P[2]. A GDF SUEZ E&P International é uma operadora de produção na Noruega, com o campo de Gjøa, bem como nos Países Baixos e na Alemanha. No Reino Unido, o Grupo também opera o projeto Cygnus, um dos maiores campos de gás não desenvolvidos na Plataforma Continental do Reino Unido nos últimos 25 anos. A GDF SUEZ E&P International é também sócia no importante projeto Jangkrik, na Indonésia, e co-operadora no projeto Touat na Algéria, ambos atualmente em fase de desenvolvimento.
 

A GDF SUEZ assinou um ‘Acordo de Compra de Ativos’ com a Vale S.A. (Vale), uma das maiores empresas na área de metais e mineração no mundo, para adquirir sua participação de 20% em dois blocos de exploração de gás na bacia onshore do Parnaíba, localizada no Nordeste do Brasil.

A assinatura do APA (asset purchase agreement) marca a primeira entrada da GDF Suez, maior geradora privada de energia elétrica do país, nas atividades de exploração e produção no Brasil.

Os blocos abrangem uma área de 3.067 km² e 3.065 km² respectivamente, em uma região relativamente pouco explorada, com alto potencial de gás natural. Essas licenças foram concedidas em março de 2008 como parte da 9a rodada de licitações para exploração à Vale (20%), BP (40%, operadora do bloco 2) e Petrobras (40%, operadora do bloco 3). Até março de 2014, está programado um poço de exploração em cada um desses dois blocos.

Didier Holleaux, CEO da GDF Suez E&P International, destaca a importância desta operação: “Por meio dessa aquisição, a GDF SUEZ dá o seu primeiro passo nas atividades de exploração e produção no Brasil. Essa operação nos permite trabalhar com sócios experientes, em uma região ainda pouco explorada, mas que possui claro potencial para o gás natural.”

Maurício Bähr, CEO da GDF Suez no Brasil, afirmou: “A combinação da experiência internacional da GDF SUEZ nas atividades de exploração e produção, juntamente com a nossa presença relevante no mercado de eletricidade brasileiro, representa uma atuação forte do Grupo no Brasil. Esperamos que o gás natural desempenhe um papel essencial no mix energético futuro e, portanto, o acesso direto ao gás é um importante incremento na posição da GDF SUEZ no país.”

A GDF Suez, através de sua subsidiária Tractebel Energia, é a maior produtora independente de energia no Brasil, representando aproximadamente 7% da capacidade total de geração instalada do país.  87% da capacidade de 8.522 MW são provenientes de fontes renováveis. Sua posição em fontes renováveis tem sido reforçada pela construção de novos parques eólicos na região nordeste.

Atualmente, a GDF Suez está também construindo no Rio Madeira, no estado de Rondônia Jirau, uma das maiores hidrelétricas em construção no país, e que irá gerar 3.750 MW. O projeto, que produzirá energia limpa e renovável para atender às necessidades de eletricidade de 10 milhões de residências, foi recentemente registrado junto às Nações Unidas sob o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo. O Grupo está igualmente presente nos serviços relacionados à energia e vem suprindo o mercado brasileiro com GNL desde 2012.

A GDF Suez E&P International detém uma carteira equilibrada de 344 licenças de exploração e/ou produção (54% operadas) entre regiões maduras e zonas de exploração de alto potencial em 16 países com uma produção de 54.9 milhões de barris de óleo equivalente (Mboe) e 836 Mboe de reservas 2P. A GDF SUEZ E&P International é uma operadora de produção na Noruega, com o campo de Gjøa, bem como nos Países Baixos e na Alemanha. No Reino Unido, o Grupo também opera o projeto Cygnus, um dos maiores campos de gás não desenvolvidos na Plataforma Continental do Reino Unido nos últimos 25 anos.

A GDF Suez E&P International é também sócia no importante projeto Jangkrik, na Indonésia, e co-operadora no projeto Touat na Algéria, ambos atualmente em fase de desenvolvimento.



Fonte: Redação TN/ Ascom GDF Suez
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar