acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
OTC Brasil 2013

Estudantes debatem caminhos para transformar conhecimento em eficiência

30/10/2013 | 15h46
Estudantes debatem caminhos para transformar conhecimento em eficiência
Rudy Trindade/ TN Petróleo Rudy Trindade/ TN Petróleo

 

O primeiro dia da OTC Brasil 2013 marcou também o início do programa Profissional do Futuro, organizado pela Offshore Technology Conference (OTC) e pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) com apoio do CEU (Centro de Empreendedorismo Universitário).
Pela primeira vez na OTC Brasil, o programa leva jovens de universidades, escolas técnicas e centros tecnológicos para acompanhar a programação do evento e assistir a uma série de palestras voltadas para capacitação profissional e oportunidades do mercado de óleo e gás.
O diretor do CEU, Alfredo Laufer, frisou a necessidade de aproveitar eventos do gênero para acumular conhecimento técnico e também definir rumos profissionais:
“O grande desafio é transformar conhecimento individual em coletivo para aumentar a eficiência do trabalho. Há uma grande onda de incentivo ao empreendedorismo, por exemplo, mas acreditamos nele desde que venha com transpiração”, avalia Laufer.
Para o diretor de Relações Governamentais e Assuntos Regulatórios da Shell Brasil, Flávio Rodrigues, a colocação no mercado de trabalho passa também pelo entendimento da importância que a sustentabilidade ganhou nas discussões sobre matriz energética:
“A demanda mundial do setor energético vai crescer 80% até 2050. E todas as formas de energia serão fundamentais nesse contexto. Recursos como água e comida também terão uma demanda entre 40% e 50% maior nos próximos 15 anos. Por isso precisamos de fontes mais limpas e eficientes. Nossa expectativa é de que por volta de 2070 a energia solar já seja a mais utilizada no mundo”, explica Rodrigues.    
Oportunidades parecem não faltar. Estimativa da FGV aponta que, para cada R$ 1 milhão investido no pré-sal, serão gerados mais de 30 mil empregos. E nesse cenário, a compreensão exata dos próprios talentos e atualização constante são fundamentais:
“Talento é oportunidade e também determinação pessoal. O mercado é uma via de mão dupla. Não dá para ficar estagnado no que se aprendeu há meses ou anos”, disse a gerente-geral do Instituto Capacitare, Débora Nascimento. 
         

O primeiro dia da OTC Brasil 2013 marcou também o início do programa Profissional do Futuro, organizado pela Offshore Technology Conference (OTC) e pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) com apoio do CEU (Centro de Empreendedorismo Universitário).


Pela primeira vez na OTC Brasil, o programa leva jovens de universidades, escolas técnicas e centros tecnológicos para acompanhar a programação do evento e assistir a uma série de palestras voltadas para capacitação profissional e oportunidades do mercado de óleo e gás.


O diretor do CEU, Alfredo Laufer, frisou a necessidade de aproveitar eventos do gênero para acumular conhecimento técnico e também definir rumos profissionais:


“O grande desafio é transformar conhecimento individual em coletivo para aumentar a eficiência do trabalho. Há uma grande onda de incentivo ao empreendedorismo, por exemplo, mas acreditamos nele desde que venha com transpiração”, avalia Laufer.


Para o diretor de Relações Governamentais e Assuntos Regulatórios da Shell Brasil, Flávio Rodrigues, a colocação no mercado de trabalho passa também pelo entendimento da importância que a sustentabilidade ganhou nas discussões sobre matriz energética:


“A demanda mundial do setor energético vai crescer 80% até 2050. E todas as formas de energia serão fundamentais nesse contexto. Recursos como água e comida também terão uma demanda entre 40% e 50% maior nos próximos 15 anos. Por isso precisamos de fontes mais limpas e eficientes. Nossa expectativa é de que por volta de 2070 a energia solar já seja a mais utilizada no mundo”, explica Rodrigues.    

Oportunidades parecem não faltar. Estimativa da FGV aponta que, para cada R$ 1 milhão investido no pré-sal, serão gerados mais de 30 mil empregos. E nesse cenário, a compreensão exata dos próprios talentos e atualização constante são fundamentais:


“Talento é oportunidade e também determinação pessoal. O mercado é uma via de mão dupla. Não dá para ficar estagnado no que se aprendeu há meses ou anos”, disse a gerente-geral do Instituto Capacitare, Débora Nascimento. 

         

Fonte: Redação TN Petróleo/ Ascom OTC Brasil 2013
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar