acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

EPE: expansão da transmissão prevê 13 mil km de novas linhas

27/11/2013 | 09h37
EPE: expansão da transmissão prevê 13 mil km de novas linhas
Deposit Photos Deposit Photos

 

De acordo com o segundo ciclo do Programa de Expansão da Transmissão (PET), que abrange o período entre 2013 e 2018, o conjunto de novas linhas de transmissão e subestações a ser implantado neste horizonte soma cerca de R$ 17,9 bilhões em novos recursos. Seguno a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o programa foi encaminhado ao Ministério de Minas e Energia para ser licitado em 2014.
Os investimentos contemplam instalações de transmissão visando à expansão da Rede Básica, garantindo as condições para atendimento às necessidades de intercâmbio entre as regiões do país. Para tanto, o estudo de planejamento prevê a entrada de cerca de 13 mil quilômetros de novas linhas até 2018, além de 39 subestações.
Segundo a EPE, o valor total os investimentos refere-se a projetos cujos estudos já estão concluídos, mas que ainda não foram licitados – a previsão de é de entrada em operação até o final de 2018. Neste período também serão posteriormente acrescidos recursos para projetos que ainda se encontram em fase de estudos.
A partir de 2013, a EPE passará a publicar duas atualizações por ano do PET, tendo como objetivo principal dar celeridade ao processo de licitação das obras e mitigar atrasos na implementação das expansões do Sistema Interligado Nacional (SIN). Além disso, a EPE expandiu o horizonte das obras que compõem os ciclos semestrais do PET para seis anos, ao invés de cinco.

De acordo com o segundo ciclo do Programa de Expansão da Transmissão (PET), que abrange o período entre 2013 e 2018, o conjunto de novas linhas de transmissão e subestações a ser implantado neste horizonte soma cerca de R$ 17,9 bilhões em novos recursos. Seguno a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o programa foi encaminhado ao Ministério de Minas e Energia para ser licitado em 2014.

Os investimentos contemplam instalações de transmissão visando à expansão da Rede Básica, garantindo as condições para atendimento às necessidades de intercâmbio entre as regiões do país. Para tanto, o estudo de planejamento prevê a entrada de cerca de 13 mil quilômetros de novas linhas até 2018, além de 39 subestações.

Segundo a EPE, o valor total os investimentos refere-se a projetos cujos estudos já estão concluídos, mas que ainda não foram licitados – a previsão de é de entrada em operação até o final de 2018. Neste período também serão posteriormente acrescidos recursos para projetos que ainda se encontram em fase de estudos.

A partir de 2013, a EPE passará a publicar duas atualizações por ano do PET, tendo como objetivo principal dar celeridade ao processo de licitação das obras e mitigar atrasos na implementação das expansões do Sistema Interligado Nacional (SIN). Além disso, a EPE expandiu o horizonte das obras que compõem os ciclos semestrais do PET para seis anos, ao invés de cinco.



Fonte: Ascom EPE
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar