acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Evento

Encontro Nacional do Prominp reúne representantes do setor de petróleo e gás em BH

06/12/2012 | 16h37

 

Encontro Nacional do Prominp reúne representantes do setor de petróleo e gás em Belo Horizonte
 
Publicada em 6/12/2012 15:36:47
 
Foto: AGÊNCIA PETROBRAS
 
Secretário do Ministério de Minas e Energia anunciou planos de integração com o Mercosul
 
A abertura do 9º Encontro Nacional do Prominp – Competitividade e Conteúdo Local realizado na noite de ontem (5) em Belo Horizonte (MG), contou com a participação de diversos representantes das entidades integrantes do Programa. Na cerimônia de abertura, o secretário de Petróleo, Gás e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia, Marco Antônio Martins Almeida, revelou que o governo brasileiro planeja reconhecer como conteúdo local os bens do setor de petróleo e gás natural produzidos no Mercosul. “Já é uma demanda do Uruguai e da Argentina e devemos materializar essa ideia em breve. O produto feito nos países do bloco terão que cumprir as mesmas exigências feitas ao nacional e esse tratamento será recíproco. A indústria brasileira poderá atender aos mercados vizinhos”, explicou.
 
A mesa diretora da solenidade contou com a secretária adjunta da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Mônica Neves, que agradeceu à organização do evento pela escolha do Estado como sede e destacou a importância da cooperação entre as entidades. “As instituições precisam somar esforços para evoluirmos na proposta de conteúdo local”, afirmou.
 
O representante da Petrobras, Marcos Assayag, gerente executivo do Centro de Pesquisas & Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), ressaltou no evento o papel da Companhia no Programa. “É a principal turbina do Prominp. Temos um desafio grande pela frente, vamos dobrar as reservas de petróleo e gás até 2020”. Ele sugeriu que o Prominp tenha foco em dois pontos: alavancar o conteúdo local com competitividade e fortalecer a engenharia nacional. 
 
Nos dias 6 e 7, o evento será dividido em painéis norteados por cinco temas: Arranjos Produtivos Locais - APLs e o desenvolvimento de fornecedores;  Produtividade: desafios para o setor de petróleo e gás; Tecnologias para construção e montagem offshore; Fortalecimento da engenharia nacional – desenvolvimento de projetos básicos no Brasil; Empregabilidade: Qualificação, Certificação e Inserção de profissionais no mercado de trabalho.  Na sexta-feira, dia 7, serão apresentadas as diretrizes para orientar as iniciativas do Programa em 2013. 
 
O Prominp
Instituído em dezembro de 2003 pelo decreto nº 4925 do Governo Federal e coordenado pelo Ministério de Minas e Energia e pela Petrobras, o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) tem estruturado um conjunto de mais de 150 iniciativas estratégicas relacionadas aos diversos fatores que impactam a competitividade da indústria. O objetivo das ações é auxiliar no equacionamento dos gargalos detectados e, dessa forma, maximizar a participação da indústria nacional na implantação de projetos do setor de petróleo e gás natural no país e no exterior.
 
SERVIÇO – 9º. Encontro Nacional do Prominp
Datas: 5 a 7 de dezembro de 2012, a partir das 9h.
Local: Belo Horizonte (MG) - Auditório JK na Cidade Administrativa Tancredo Neves - Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/nº - Venda Nova.
 

A abertura do 9º Encontro Nacional do Prominp – Competitividade e Conteúdo Local realizado na noite de ontem (5) em Belo Horizonte (MG), contou com a participação de diversos representantes das entidades integrantes do Programa. Na cerimônia de abertura, o secretário de Petróleo, Gás e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia, Marco Antônio Martins Almeida, revelou que o governo brasileiro planeja reconhecer como conteúdo local os bens do setor de petróleo e gás natural produzidos no Mercosul. “Já é uma demanda do Uruguai e da Argentina e devemos materializar essa ideia em breve. O produto feito nos países do bloco terão que cumprir as mesmas exigências feitas ao nacional e esse tratamento será recíproco. A indústria brasileira poderá atender aos mercados vizinhos”, explicou. 

 

A mesa diretora da solenidade contou com a secretária adjunta da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Mônica Neves, que agradeceu à organização do evento pela escolha do Estado como sede e destacou a importância da cooperação entre as entidades. “As instituições precisam somar esforços para evoluirmos na proposta de conteúdo local”, afirmou. O representante da Petrobras, Marcos Assayag, gerente executivo do Centro de Pesquisas & Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), ressaltou no evento o papel da Companhia no Programa. “É a principal turbina do Prominp. Temos um desafio grande pela frente, vamos dobrar as reservas de petróleo e gás até 2020”. Ele sugeriu que o Prominp tenha foco em dois pontos: alavancar o conteúdo local com competitividade e fortalecer a engenharia nacional.  

 

Nos dias 6 e 7, o evento será dividido em painéis norteados por cinco temas: Arranjos Produtivos Locais - APLs e o desenvolvimento de fornecedores;  Produtividade: desafios para o setor de petróleo e gás; Tecnologias para construção e montagem offshore; Fortalecimento da engenharia nacional – desenvolvimento de projetos básicos no Brasil; Empregabilidade: Qualificação, Certificação e Inserção de profissionais no mercado de trabalho.  

 

Na sexta-feira, dia 7, serão apresentadas as diretrizes para orientar as iniciativas do Programa em 2013.  O ProminpInstituído em dezembro de 2003 pelo decreto nº 4925 do Governo Federal e coordenado pelo Ministério de Minas e Energia e pela Petrobras, o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) tem estruturado um conjunto de mais de 150 iniciativas estratégicas relacionadas aos diversos fatores que impactam a competitividade da indústria. O objetivo das ações é auxiliar no equacionamento dos gargalos detectados e, dessa forma, maximizar a participação da indústria nacional na implantação de projetos do setor de petróleo e gás natural no país e no exterior. 

 



Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar