acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Elétrica portuguesa inaugura seu 1° parque eólico na Polônia

15/10/2009 | 09h50
A Energias de Portugal (EDP) inaugura nesta quinta-feira (15) o parque eólico de Margonin, norte da Polônia, a primeira estrutura do grupo português naquele país e que será a rampa de lançamento para Romênia e Bulgária.


A empresa irá inaugurar uma estrutura eólica com capacidade instalada de 120 megawatts, num país onde a EDP prevê instalar outros 1.216 megawatts.


O parque eólico de Margonin, que faz parte de um investimento da EDP na Polônia de mais de 1 bilhão de euros, irá produzir anualmente cerca de 260 mil megawatts/hora (que a empresa diz ser equivalente ao consumo médio de mais de 50.000 famílias). É constituído por 60 turbinas (aerogeradores), fornecidas pela espanhola Gamesa.


O resto da capacidade a ser instalada no país - que a EDP encara como uma plataforma para abordar países vizinhos como Romênia e Bulgária - deve entrar em funcionamento entre 2010 e 2013.


Quando em setembro do ano passado a EDP lançou a primeira pedra do parque eólico que inaugura na quinta-feira, o presidente da elétrica portuguesa, António Mexia, afirmou que a estrutura "foi totalmente desenvolvida em conjunto com um segundo parque" localizado perto, que em conjunto representam mais do que toda a capacidade instalada da Polônia em energias renováveis: 240 megawatts.


"A grande maioria da energia da Polônia é produzida através do carvão e [o país] tem de resolver o seu problema de emissões. Estamos a contribuir para esse desafio e a Polônia, como principal força econômica e de mercado desta região, servirá de plataforma para abordar os países à volta", explicou na época o mesmo responsável.

Na Romênia, a EDP já tem em projeto 853 megawatts de capacidade, enquanto a Bulgária é um país ainda em análise.


"É preciso que tenham condições estruturais de vento, como acontece em Margonin, com mais de 2.200 horas por ano de vento, um vento estável, bom para as eólicas, e também regulação, necessidade de energia verde, redução das emissões. A Romênia e outros que enunciei têm essas características, com potencial de crescimento muito forte", disse na mesma altura António Mexia.


O primeiro passo para a entrada da EDP na Polônia foi dado em dezembro de 2007, com a aquisição da empresa Relax Wind Parks, por 54 milhões de euros.

A EDP considera que a Polônia apresenta boas perspectivas de evolução do negócio das eólicas - o segmento que lidera o crescimento do setor das energias renováveis - uma vez que dispõe de um quadro regulatório estável e favorável, com a obrigatoriedade de compra por parte das distribuidoras de toda a energia renovável a um preço determinado.


Além disso, o país tem boas condições de vento, com destaque para o norte do país, e a rede de transmissão de eletricidade está sendo reestruturada no sentido de poder acomodar o crescimento expectável da procura e da instalação de parques eólicos.


Em média, cada megawatt de capacidade instalada de energia eólica na Europa custa cerca de 1,2 milhões de euros.


Fonte: Agência Lusa
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar