acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Ebitda da Triunfo Participações e Investimentos cresce 27% para R$ 72 milhões no 3T10

12/11/2010 | 09h12
A Triunfo, empresa que atua no setor de infraestrutura e está presente nos segmentos de concessões rodoviárias, administração portuária e geração de energia, informou ontem (11) que registrou Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) de R$ 72 milhões no terceiro trimestre de 2010, com expansão de  27,0% em relação ao terceiro trimestre de 2009. Na mesma base de comparação, o lucro líquido da companhia cresceu 58,2%, para R$ 15 milhões no 3T10.


Também houve aumento significativo da receita operacional bruta da companhia, que cresceu 27,5% em relação ao 3T09 e totalizou R$ 135 milhões no 3T10. Além disso, a receita líquida da Triunfo no 3T10 atingiu R$ 123 milhões, com crescimento de 27,4%. Essa expansão reflete a melhoria do desempenho da Triunfo em todos os segmentos de atuação.


O volume de tráfego em rodovias administradas pelas concessionárias Concer, Concepa e Econorte – controladas pela Triunfo – se manteve em expansão, refletindo a retomada da atividade econômica no país, evidenciada pelo forte crescimento do tráfego tanto de veículos pesados (14,8%), quanto de veículos leves (9,8%) neste período. No conjunto, o tráfego nas três concessões da Triunfo aumentou 12,4% em relação ao 3T09 e  atingiu 17,558 milhões de veículos equivalentes* no 3T10. Houve também aumento de 4,1% na tarifa efetiva média* de pedágio, para R$ 6,63, na mesma base de comparação. Esses dois fatores contribuíram para uma elevação de 17,0% na arrecadação total de pedágio, que somou cerca de R$ 116,4 milhões no 3T10.


No segmento portuário, o Terminal Portuário de Navegantes, administrado pela Portonave S.A., movimentou um total de 153.524 TEUs no 3T10, com expansão de 37,2% em relação ao 3T09. A receita operacional bruta da Portonave registrou aumento de 42,3% no 3T10 em relação ao 3T09 e totalizou R$ 55,4 milhões. Essa elevação está relacionada ao crescimento da movimentação no cais e a um aumento de 68,4%, na mesma base de comparação, das receitas geradas por outros serviços do terminal – como armazenamento de contêineres, scanner, aluguel de tomadas reefer e taxas de ISPS Code. Vale ressaltar que, em julho deste ano, a Portonave assinou acordo com os sindicatos que representam os trabalhadores portuários de Santa Catarina, para regulamentar novas contratações de mão-de-obra no terminal e encerrar disputa trabalhista sobre esse tema.


A Iceport, subsidiária integral da Portonave, que movimenta carga própria do terminal, além de carga de terceiros, continua desempenhando atividades normais de trading, apesar de os serviços oferecidos pela câmara frigorificada continuarem paralisados desde incêndio ocorrido em novembro de 2009. A empresa gerou receita operacional bruta de R$ 16,7 milhões no 3T10, com aumento de 339,4% em relação ao 3T09.


A Maestra Logística, empresa criada para atuar no segmento de cabotagem, está sendo estruturada para iniciar suas operações. O Maestra Mediterrâneo e Maestra Atlântico, navios que vão operar o serviço, estão em fase final da reforma.


No segmento de geração de energia, a Rio Verde Energia, subsidiária integral da Triunfo, colocou em atividade a segunda turbina da UHE Salto, em Goiás, e agora já está operando em plena capacidade. A Rio Verde Energia tem contrato para venda da totalidade da energia gerada à Votener, empresa do grupo Vorantim, ao preço médio de R$ 130/MWh, reajustável pelo IGP-M, pelo prazo de 16 anos. No 3T10, foram gerados 121.872 MW pela usina, e a receita de venda de energia pela Rio Verde, ao preço médio de R$ 151,20 – totalizou cerca de R$ 18,4 milhões.


No início de outubro, foi publicada no Diário Oficial da União decisão da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) adjudicando a concessão da UHE Garibaldi à Companhia. A Triunfo aguarda para dezembro de 2010 a assinatura do contrato, que consolidará o direito de exploração da usina pelo prazo de 35 anos. A concessão desse novo projeto no segmento de geração de energia foi conquistada no final de julho, com a vitória da companhia do leilão A-5 da Aneel. A UHE Garibaldi será construída sobre o rio Canoas, entre os municípios de Cerro Negro e Abdon Batista, em Santa Catarina. A usina terá potência instalada mínima de 177,9 MW. Uma parcela de 70% da energia assegurada já foi vendida pela tarifa de R$ 107,98/MWh.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar