acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

Demanda da China por energia vai superar EUA e Europa

10/12/2013 | 10h24

 

A demanda da China por energia elétrica dobrará até 2026 e ultrapassará a demanda combinada dos Estados Unidos e da Europa até 2035, com o gás natural contribuindo com parte significativa do suprimento, disse a empresa de pesquisa IHS nesta terça-feira (10).
A China hoje é a segunda maior consumidora de energia do mundo, atrás dos Estados Unidos. Pequim definiu um plano "de cinco anos" para elevar a capacidade total de energia instalada em 54%, a partir dos níveis de 2010, para 1.490 gigawatts (GW) até 2015.
O crescimento da demanda na última década foi fenomenal - a China acrescentou 80 GW de nova infraestrutura energética a cada ano, ou um parque elétrico do tamanho do sistema do Japão a cada quatro anos, disse a IHS.
Esse crescimento será em média de 4,1% ao ano nas próximas duas décadas, um terço da taxa da última década, conforme a economia desloca o foco pesado em manufatura e se vê diante de um impulso por eficiência energética.
O crescimento em combustíveis mais limpos como gás natural, energia eólica e solar terão expansão mais rápida, mas as usinas a carvão ainda serão dominantes, disse a empresa de pesquisa.
Estima-se que a quantidade de gás natural usada para gerar eletricidade, por exemplo, cresça dez vezes até 2035, quando então a China rivalizará com os Estados Unidos como o maior consumidor de gás do planeta, disse a firma.

A demanda da China por energia elétrica dobrará até 2026 e ultrapassará a demanda combinada dos Estados Unidos e da Europa até 2035, com o gás natural contribuindo com parte significativa do suprimento, disse a empresa de pesquisa IHS nesta terça-feira (10).

A China hoje é a segunda maior consumidora de energia do mundo, atrás dos Estados Unidos. Pequim definiu um plano "de cinco anos" para elevar a capacidade total de energia instalada em 54%, a partir dos níveis de 2010, para 1.490 gigawatts (GW) até 2015.

O crescimento da demanda na última década foi fenomenal - a China acrescentou 80 GW de nova infraestrutura energética a cada ano, ou um parque elétrico do tamanho do sistema do Japão a cada quatro anos, disse a IHS.

Esse crescimento será em média de 4,1% ao ano nas próximas duas décadas, um terço da taxa da última década, conforme a economia desloca o foco pesado em manufatura e se vê diante de um impulso por eficiência energética.

O crescimento em combustíveis mais limpos como gás natural, energia eólica e solar terão expansão mais rápida, mas as usinas a carvão ainda serão dominantes, disse a empresa de pesquisa.

Estima-se que a quantidade de gás natural usada para gerar eletricidade, por exemplo, cresça dez vezes até 2035, quando então a China rivalizará com os Estados Unidos como o maior consumidor de gás do planeta, disse a firma.

 



Fonte: Redação / Agência
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar