acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Cúpula UE-Rússia terá segurança energética como foco

17/11/2009 | 10h20

O tema central da cúpula União Europeia-Rússia desta quarta-feira, em Estocolmo, Suécia, será a energia, disse nesta segunda uma fonte do bloco, que destacou a importância de um memorando assinado também nesta segunda em Moscou sobre segurança energética.

 

A reunião entre autoridades russas e europeias acontecerá em Estocolmo, na Suécia, país que preside temporariamente o bloco europeu, e contará com a presença do governante russo, Dmitri Medvedev, do presidente da Comissão Europeia (órgão Executivo da UE), José Manuel Durão Barroso, e do primeiro-ministro sueco, Fredrik Reinfeldt.

 

O memorando foi assinado nesta segunda entre o comissário europeu para a Energia, Andris Piebalgs, e o ministro russo da Energia, Sergei Shmatko. O documento cria um sistema de alerta rápido para eventuais interrupções no abastecimento de gás natural, petróleo e eletricidade da Rússia à UE.

 

Com este sistema, a Comissão Europeia espera prevenir situações de cortes no fornecimento energético por parte da Rússia, como aconteceu em janeiro deste ano.

 

Fonte europeia acredita que esta é "a ferramenta adequada para lidar com a situação" de uma eventual interrupção, sendo que, caso ocorra uma situação de emergência, será criado um grupo especial de monitoramento.

 

O sistema de alerta inclui um grupo de peritos indicados pelas duas partes para prevenir e resolver situações de emergência.

 

Conflitos políticos

 

Cerca de 25% do gás natural importado pela UE provêm da Rússia, e 80% são transportados via Ucrânia. Tensões entre os dois países, especificamente relacionados ao pagamento pela parte ucraniana, têm provocado cortes no abastecimento, com consequências para a UE.

 

"Trata-se de um documento com forte carga política e que está longe de resolver o problema", afirmou à Agência Lusa uma fonte diplomática, que alegou que a razão para o impasse é que "os países de trânsito ficam de fora do memorando".

 

A questão das mudanças climáticas também estará na agenda da cúpula, sendo que a UE espera da Rússia uma posição ambiciosa, especificamente em termos de eficiência energética.

 

"O protocolo de Quioto só entrou em vigor porque a Rússia o assinou", lembrou uma fonte do bloco.

 

Do lado da Presidência sueca, a ênfase reside na questão dos direitos humanos, e a Comissão Europeia indicou que também abordará o tema.

 

Parceria

 

O acordo de parceria e cooperação entre Rússia e UE não será assinado em Estocolomo, mas será analisado.

 

"Esse avanço não é muito rápido, porque o acordo abarca todos os domínios da nossa parceria, mas avançamos", defendeu Vladimir Tchijov, representante permanente russo no bloco.

 

O pacto entre Rússia e União Europeia expirou em 2007, sendo automaticamente prorrogado. A sexta sessão de negociações sobre o novo acordo aconteceu no início de outubro.

 

Medvedev pretende também abordar com os dirigentes da UE a iniciativa de criar um espaço euro-atlântico comum de segurança.

 

Em junho de 2008, o presidente russo sugeriu um tratado de segurança na Europa, cujos pilares são o respeito à soberania e à integridade territorial dos Estados, o não recurso à força armada, o controle dos armamentos e o princípio segundo o qual nenhuma organização internacional tem o direito exclusivo de garantir a segurança no continente.

 

UE e Estados Unidos consideram que não existe necessidade de assinar novos documentos nesta área, e consideram suficientes os mecanismos e organizações já existentes.

 

Os dirigentes russos e europeus discutirão também problemas internacionais, como a situação em Afeganistão, Oriente Médio e o programa nuclear do Irã.



Fonte: Agência Lusa
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar