acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

ChevronTexaco e Repsol assinam carta de intenções para desenvolver nova área na Venezuela

01/04/2005 | 00h00

A ChevronTexaco Corp. anunciou nesta quinta-feira (31/03) que sua afiliada na Venezuela assinou uma carta de intenções com a espanhola Repsol YPF para participar, com o governo venezuelano, um novo desenvolvimento de atividades no cinturão do Orinoco.
Participaram da assinatura da carta representantes do ministério da Energia e do Petróleo da Venezuela e da petroleira estatal venezuelana PDVSA, além de representantes dos governos da Espanha e dos Estados Unidos. Os presidentes da ChrevronTexaco, Dave O`Reilly, e da Repsol YPF, Antonio Brufau, compareceram à cerimônia represesentado suas respectivas companhias
O projeto não vai incluir apenas o desenvolvimento de uma nova área no cinturão do Orinoco, mas também a produção do petróleo extra-pesado de Faja e o transporte de óleo cru através de um novo oleoduto regional. Completando, o projeto incluiria novas facilidades na Venezuela para melhorar a qualidade do petróleo cru ou de produtos refinados.
Comentando os novos acordos, O`Reilly disse: "A Venezuela há muito tempo é um país de importância para a ChevronTexaco e continua a ter um significativo papel na estratégia de longo prazo e nos objetivos de crescimento da empresa. A assintura desta carta de intenções com a Repsol nos dá uma oportunidade para ampliar nosso portfólio na Venezuela e buscar lançar as bases para o que acreditamos será uma longa parceria. Igualmente, estou muito satisfeito de que a Repsol se una a nós no que potenciamente poderá ser um projeto de investimento multibilionário."
Segundo o informe da ChevronTexaco, as novas atividades, que estarão alinhadas com a atual lei de hidrocarbonetos da Venezuela, serão realizadas de acordo com a nova política energética do governo venezuelano e vão utilizar a mais avançada tecnologia para a produção de petróleo e modernização.
Atualmente, existem quatro associações de petróleo com a PDVSA para desenvolver o cinturão do Orinoco. Elas produzem e transportam petróleo extra-pesado de 8° API para diferentes processadores, um de cada associação, localizadas no Complexo Industrial Jose, na costa oriental da Venezuela. Os processadores melhoram a qualidade e gravidade da produção do Orinoco, de 16° para 32° API para serem distribuídos no mercado para refinarias internacionais.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar