acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Fórum de Infraestrutura

“Características da nossa matriz energética são motivos de orgulho”, declarou Ministro em Fórum de Infraestrutura

22/05/2019 | 11h17
“Características da nossa matriz energética são motivos de orgulho”, declarou Ministro em Fórum de Infraestrutura
Divulgação/MME Divulgação/MME

“Hoje, 44% da matriz energética brasileira correspondem a fontes limpas. Em 2027, pode chegar a 48%. Essas características da nossa matriz são motivos de orgulho. Poucos países do mundo estão em condições como o Brasil”, afirmou o Ministro Bento Albuquerque no Fórum 2019 da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), realizado hoje, 21.

Durante o evento, Bento Albuquerque destacou as agendas para cada uma das áreas do Ministério de Minas e Energia (MME). Para o setor elétrico, citou a modernização do setor elétrico, que visa: expansão do sistema, formação de preços, abertura do mercado, alocação de custos e riscos e inserção de novas tecnologias. 

No setor de petróleo, gás natural e biocombustíveis, o Ministro destacou os números e a importância do Leilão dos Excedentes da Cessão Onerosa. “Hoje a área de maior produtividade do mundo é o Brasil. Somos considerados o novo oriente médio. ”

“Até 2040 o Brasil representará 23% do aumento da produção mundial [de petróleo], considerando os leilões já marcados. Ficaremos entre os cinco maiores produtores do mundo e dobraremos nossa disponibilidade de gás natural”, disse. 

O Ministro também destacou duas ações principais na área de petróleo e gás: a primeira foi o programa “Novo Mercado de Gás”, que sinaliza em junho o resultado do Comitê instituído para debater medidas para o setor.  A segunda ação priorizada é o refino, foco do programa Abastece Brasil, cujo o objetivo é desenvolver o mercado e promover a concorrência no setor de combustíveis, atuando na diversificação de atores, na atração de investimentos em refino e logística, no fim da diferenciação de preços do gás liquefeito de petróleo (GLP) e no combate à sonegação e à adulteração de combustíveis.

No setor de mineração, o Ministro citou tópicos da agenda: organizar um dataroom do setor, reforçar a estrutura da Agência Nacional de Mineração (ANM) e estabelecer agenda de leilões com base em diretrizes do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

Confira a apresentação do Ministro AQUI



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar