acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Braskem faz mudanças na estrutura de comando

28/02/2012 | 10h43
A petroquímica Braskem está promovendo uma ampla reestruturação em seus principais cargos de comando. Os ajustes na macroestrutura da companhia têm como objetivo melhorar os resultados operacionais da empresa, apurou o Valor.

Deixará a equipe comandada por Carlos Fadigas, presidente da petroquímica, Manoel Carnaúba, que está na vice-presidência de petroquímicos básicos. Para o seu lugar, assumirá o cargo Rui Chammas, que atualmente responde pela vice-presidência de polímeros. Luciano Guidolin, atual responsável pela área financeira do grupo Odebrecht, deverá assumir a divisão de polímeros da companhia, considerada de grande visibilidade. A perda de participação da Braskem no segmento de resinas no país para os produtos importados teria gerado essa mudança de cadeiras, segundo fontes do setor.

Para o visado cargo de negócios internacionais, o que inclui a coordenação da Braskem Américas, ocupado pelo executivo Luiz de Mendonça, está cotado o executivo Fernando Musa, atualmente na vice-presidência de planejamento. Hoje (28), o martelo deverá ser batido durante reunião do conselho da companhia.

Mendonça, que também foi responsável pelos negócios de resinas verdes da Braskem, vai coordenar a ETH Bionergia, braço de açúcar e álcool do grupo Odebrecht, no lugar do executivo José Carlos Grubisich, que deixou a companhia este mês para assumir a presidência da Eldorado Brasil, empresa de papel e celulose da holding J&F, controladora da JBS. Engenheiro químico, formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), Mendonça passou pela Rhodia, antes de ingressar no grupo Odebrecht.

Procurada, a Braskem apenas confirmou que está fazendo ajustes na estrutura organizacional. A empresa não confirma as mudanças de cargos e só deverá comentar o assunto quando a operação estiver concluída.

Essa mudança de cadeiras na companhia tem sido observada com reserva pelo mercado, de acordo com especialistas do setor. "O mercado prefere que os executivos de confiança ocupem seus cargos por mais tempo. Fica parecendo mudança de técnico de futebol quando perde dois ou três jogos seguidos", afirmou uma fonte.

À frente do comando da Braskem, Fadigas também foi recém-empossado no cargo. O executivo ocupa a presidência da petroquímica desde dezembro de 2010, após a saída de um dos maiores acionistas individuais do grupo, Bernardo Gradin. Antes de assumir a presidência da companhia, Fadigas comandou por cerca de um ano a Braskem Américas. O executivo foi responsável pelas áreas de finanças e relações com investidores da petroquímica, entre 2007 e 2010, e foi o principal executivo financeiro na construtora Norberto Odebrecht, de 2002 a 2006.

Criada em 2002, a petroquímica Braskem é considerada a menina dos olhos do conglomerado Odebrecht. A companhia pretende investir a partir deste ano cerca de US$ 5 bilhões para expandir seus negócios no mercado interno.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar