acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócios

Anglo pretende começar a operar Minas Rio em 2012

24/09/2009 | 03h15

O presidente da Anglo Ferrous Brazil, braço de ferrosos da Anglo American, Stephan Weber não acredita que o processo de licenciamento ambiental do Sistema Minas Rio sofrerá atrasos e a expectativa é de que todas as licenças sejam obtidas até o próximo ano. O sistema Minas Rio foi adquirido no ano passado, por US$ 5,5 bilhões da MMX, do empresário Eike Batista. O empreendimento foi orçado em US$ 3,6 bilhões é composto por uma mina, em Conceição do Mato Dentro, na região central de Minas, com uma capacidade de 26,5 milhões de toneladas de minério de ferro, um mineroduto e um terminal marítimo no Porto de Açu, no Rio de Janeiro.

 


“Esperamos que o primeiro carregamento de minério para exportação ocorra em junho de 2012″, disse Weber. Em agosto, o Ministério Público Federal (MPF) em Belo Horizonte ajuizou ação civil pública para suspender a continuidade das obras de um dos principais pontos do empreendimento, o mineroduto, com extensão de 525 quilômetros, projetado para transportar a produção até o Porto do Açu. Na ação, os procuradores questionaram o processo de licenciamento ambiental e apontaram que a análise sobre os impactos gerados pelo empreendimento foi “indevidamente fragmentada”, já que os elementos do projeto (a mina, o mineroduto e o porto) foram licenciados isoladamente pelo Ibama e pelos órgãos estaduais. Para o MPF, no entanto, as estruturas não existem de forma independente e são “indissociáveis”.

 

De acordo com Weber, porém, o processo de licenciamento vem progredindo normalmente, sem atrasos. Para obter licenças de operação, a companhia precisa negociar com os 1,2 mil proprietários de terra que estão no trajeto do mineroduto aval para a construção no subsolo. Até hoje, a Anglo já conseguiu negociar com mais da metade dos proprietários no Rio de Janeiro e apenas 20% em Minas. O projeto conta com um decreto de utilidade pública concedido pelo governos de Minas e do Rio de Janeiro para a negociação com os proprietários de terra na área por onde passará o mineroduto, que percorre 32 municípios mineiros e fluminenses.

 

embarques. Para iniciar o embarque da produção no prazo previsto, a Anglo Ferrous depende do andamento das obras do duto, que teriam que estar concluídas no início de 2012, e do Porto de Açu.
Stephan Weber reafirmou a intenção da empresa em expandir as operações no País, por meio do Sistema Minas Rio. “A expansão seria mais atraente do que adquirir novos ativos, mas ainda não há nenhum estudo pronto”, disse ele.



Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar