acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócios

ABB adquire Thomas & Betts

31/01/2012 | 15h20
A ABB, grupo líder em tecnologias de energia e automação, e Thomas & Betts Corporation, líder norte-americano em produtos de baixa tensão, anunciaram ontem por meio de seus diretores a aquisição da Thomas & Betts pela ABB por US$ 72 por ação, aproximadamente US$ 3,9 bilhões.
 

O preço de aquisição representa um acréscimo de 24% no valor das ações da Thomas & Betts, comparado ao preço de fechamento em 27 de janeiro de 2012 e de 35% para o preço das ações de volume médio, ao longo dos últimos 60 dias de negociação. A transação está sujeita à aprovação dos acionistas da Thomas & Betts, bem como às habituais aprovações regulatórias, e deve ser concluída em meados de 2012.
 

A combinação complementar de componentes elétricos da Thomas & Betts e produtos de baixa tensão, proteção e medição da ABB, criará um portfólio mais amplo, que pode ser distribuído por meio da rede da Thomas & Betts, composta por mais de 6 mil locais de distribuição e atacadistas na América do Norte, e de canais estabelecidos de distribuição na Europa e na Ásia. 
 

Com um portfólio de produtos complementares e rede de distribuição aprimorada, a ABB terá condições de duplicar seu mercado na América do Norte em aproximadamente US$ 24 bilhões.
 

"Thomas & Betts é uma empresa bem administrada, com marcas fortes e excelentes canais de distribuição no maior mercado mundial de produtos de baixa tensão", disse Joe Hogan, CEO da ABB. "Porque os nossos produtos são complementares, vamos ao mercado com uma das mais amplas ofertas na indústria. Isso cria oportunidade de forte crescimento para ambas as empresas e dá aos clientes e distribuidores acesso a uma diversificada gama de produtos de baixa tensão”.
 

"Estrategicamente é um grande ajuste", acrescentou Hogan. "É um passo em direção ao objetivo de expandir nossa presença  no mercado norte-americano. A transação apoia claramente a nossa meta de crescimento para 2015 e atende aos critérios para a criação de valor para o acionista”, reforça o executivo. 

“Essa transação traz significativo valor para os acionistas e facilitará que a Thomas & Betts acelere sua estratégia de crescimento global”, disse o Chairman e CEO da Thomas & Betts, Dominic J. Pileggi. “A fusão nos permitirá oferecer  aos consumidores e distribuidores um portfólio mais amplo além de oportunidades de longo prazo para nossos funcionários. Este é o momento perfeito para este acordo e eu acredito muito que a ABB seja o parceiro ideal para o avanço de nossos negócios” reforça o executivo.
 

Juntamente com a divisão de produtos de baixa tensão da ABB para a América do Norte, a Thomas & Betts se tornará uma nova unidade de negócios fora de Memphis, Tenesse, sob a coordenação de Pileggi. 
 

Thomas & Betts emprega cerca de 9,4 mil pessoas e em 2011 teve receita aproximada de US$ 2,3 bilhões e ganhos de US$ 390 milhões, antes de juros, taxas, depreciação e amortização. A companhia divulgou seus resultados anuais hoje. 

 

Seu principal negócio é a produção de produtos elétricos de baixa e ultra baixa tensão como conectores, fiações e acessórios para construção, área industrial e mercado de utilitários. Esses produtos são complementares ao portfólio da divisão de baixa tensão da ABB, a qual inclui produtos como disjuntores e interruptores. Além disso, a Thomas & Betts tem um modelo logístico entre distribuidores, que permite uma simples e única fatura, bem como rápida entrega de sua linha de produtos.  

 

Thomas & Betts fornece ainda torres para transmissão elétrica e tem uma divisão que produz aquecedores, ventiladores e ar condicionado, portfólios novos para a ABB, mas perfeitamente relacionados à essência da empresa e seu foco em automação.  


ABB tem garantido US$ 4 bilhões subscritos, num financiamento e comprometimento do Bank of America Merrill Lynch. O valor será quitado por meio da combinação de dinheiro e emissão de notas de débito. A transação tem expectativa de ser contabilizada pela companhia dentro de um ano, posteriormente, às despesas e custos de implementação. A ABB espera que a transação gere em torno de US$200 milhões entre as empresas até 2016. 

 

“Esta é uma oportunidade única para a ABB crescer neste importante e inexplorado mercado Norte Americano de produtos de baixa tensão”, disse Tarak Mehta, membro do Comitê Executivo responsável pela divisão de Produtos de Baixa Tensão da ABB, na qual a Thomas & Betts será integrada como uma unidade única. “Nós planejamos manter e construir a marca Thomas & Betts, bem como seus produtos. Temos um portfólio complementar que já pode ser comercializado conjuntamente, assim como outros produtos que levarão algum tempo para serem introduzidos aos consumidores”. 
 

“A ABB e a Thomas & Betts dividem uma cultura comum. Nós admiramos o conhecimento da indústria e o entusiasmo da equipe da Thomas & Betts e o excelente relacionamento de longo prazo com distribuidores e atacadistas”, disse Mehta. “Daremos continuidade ao modelo de negócios de sucesso da Thomas & Betts, que irá liderar e gerenciar o desenvolvimento de sucesso dessa nova unidade de negócios”. 
 

Sob os termos do acordo, a transação é estruturada como uma fusão que requer aprovação da maioria dos acionistas da Thomas & Betts numa reunião especial,  que deverá acontecer no segundo trimestre de 2012. O encerramento da transação está ainda condicionado às aprovações regulatórias habituais tanto na América do Norte quanto na Europa.
 

O Bank of America Merrill Lynch atuou como um conselheiro financeiro para a ABB e será responsável por fazer a ponte financeira com a Kirkland & Ellis LLP, que cuida da área jurídica. O Deutsche Bank Securities Inc.é conselheiro financeiro da Thomas & Betts e Davis Polk & Wardwell LLP conselheiro jurídico. 

 




Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar